ATAQUE DE TUBARÃO

Paciente vítima de ataque de tubarão tem mão amputada no HR

Pablo Diego também teve a perna direita amputada logo após o ataque do tubarão. O paciente passou por um enxerto de pele há dois dias

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 20/04/2018 às 16:08
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Pablo Diego também teve a perna direita amputada logo após o ataque do tubarão. O paciente passou por um enxerto de pele há dois dias - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O paciente Pablo Diego Inácio de Melo, que sofreu um ataque de tubarão no último domingo (15), teve a mão direita amputada no Hospital da Restauração (HR). A equipe médica da unidade já havia emitido um boletim informando a possibilidade do procedimento na manhã desta sexta-feira (20). O corte foi na altura do antebraço. 

Apesar do homem de 34 anos ter passado por um processo de enxerto de pele nas mãos e nos braços para tentar amenizar os ferimentos, a infecção causada pela mordida não pôde ser controlada. 

No boletim divulgado pelo HR nesta manhã, a equipe médica informou que o quadro clínico do paciente segue com uma boa evolução. Pablo Diego Inácio respira sem a ajuda de aparelhos e está consciente. O alerta outras possíveis infecções, comuns em pacientes vítimas de mordidas de tubarão, foi mantido.

Nos primeiros procedimentos feitos após o ataque, o paciente também teve a perna direita amputada. 

"Eu lutei muito com o tubarão"

Durante a conversa entrevista ao Jornal do Commercio, Darlene Melo, mãe da vítima, disse que o filho afirmou: "Mainha, eu lutei muito com o tubarão".

A aposentada disse que ele se lembra de tudo. "Ele disse que um rapaz o ajudou a sair do mar e que tem consciência de que perdeu a perna", contou. Após visitas ao filho, ela afirmou que ele estava lúcido. Pablo Diego Inácio de Melo já está consciente e respira sem aparelhos eletrônicos.

O ataque

Na tarde do último domingo, o potiguar Pablo Diego Inácio de Melo foi vítima de um ataque de tubarão na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. O caso aconteceu em um dos pontos mais comuns de ataques na região: na altura da Igrejinha de Piedade. Além das graves lesões nos dois braços e mãos, a vítima teve a perna direita amputada.

Pablo estava no Recife há 10 meses para se recuperar do vício das drogas em uma casa recuperação. Já recuperado, ele vendia produtos em ônibus e no metrô. Pablo foi atacado no dia de sua folga.

Família

A mãe do banhista, Darlene Melo, de 55 anos, veio ao Recife na madrugada da segunda-feira e afirmou não ter condições de se manter na cidade. Ela está hospedada na casa de uma amiga de infância em Jardim São Paulo, na zona oeste do Recife.

Amigos da mãe da vítima e populares que solidarizaram com o caso doaram quantias de dinheiro que, segundo Darlene, está sendo usado para bancar o custo do transporte para o Hospital da Restauração e para alimentação, além de ajudar em algumas despesas da casa em que ela está hospedada.

Quem puder ajudar ela, deve realizar um depósito em sua conta bancária. Os dados são agência 2874-6 e conta corrente 1373-0, Banco do Brasil. O telefone de Darlene é o (84) 9.8889.5228.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias