História

Igreja do Monte é o mais antigo templo católico de Olinda

A sexta reportagem da série sobre os primeiros prédios tombados individualmente como patrimônio nacional em Olinda traz hoje (25/05) a história da Igreja de Nossa Senhora do Monte, ocupada por monjas beneditinas há 55 anos

Cleide Alves
Cleide Alves
Publicado em 25/05/2018 às 8:08
Foto: Guga Matos/JC Imagem
FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Simples e elegante, a Igreja do Monte é o primeiro templo cristão de Olinda dedicado a Nossa Senhora. O prédio foi construído em 1535, o ano de fundação da cidade, a pedido de Duarte Coelho, donatário da Capitania de Pernambuco. Escapou do incêndio promovido pelos holandeses em 1631, passou por reformas e chegou aos dias atuais como a mais velha igreja olindense comprovada em documento.

A edificação de origem, do século 16, era uma ermida dedicada a Nossa Senhora do Monte e hoje corresponde à capela-mor do prédio. Alguns anos depois a igreja é ampliada, ganhando a nave – local onde os fiéis assistem à missa – com piso de ladrilho e os nichos de São Bento, São Gregório Magno (Papa de 590 a 604), Santa Escolástica e Santa Gertrudes.

Construída no século 16 e reformada depois, a Igreja do Monte é a mais antiga da cidade de Olinda -
Foto: Guga Matos/JC Imagem
A capela-mor da Igreja do Monte, em Olinda, corresponde ao primeiro prédio construído no século 16 - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Monjas beneditinas oram sete vezes ao dia, diariamente, na Igreja de Nossa Senhora do Monte (Olinda) - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
A Igreja do Monte é a primeira edificação religiosa dedicada a Nossa Senhora na cidade de Olinda - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
A Igreja do Monte, em Olinda, é tombada como patrimônio nacional pelo Iphan desde julho de 1938 - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Imagem de Nossa Senhora do Monte, em Olinda, tem o mesmo modelo da santa venerada na Ilha da Madeira - Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
O lavabo de pedra do século 17 na sacristia da Igreja do Monte, em Olinda, é uma relíquia no prédio - Foto: Guga Matos/JC Imagem
O altar de Nossa Senhora da Igreja do Monte, na cidade histórica de Olinda, foi restaurado em 2004 -

 

“Os portugueses sempre foram muito católicos e onde chegavam construíam igrejas para manter a fé, eles trouxeram da Ilha da Madeira para cá a devoção a Nossa Senhora do Monte”, declara Irmã Maria Regina Menezes. Em 1586, a Igreja do Monte é cedida aos monges da Ordem de São Bento, que prestavam assistência religiosa à comunidade vizinha do templo, diz ela.

Somente em 1963, com a chegada de sete monjas beneditinas de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, é criado o Mosteiro de Nossa Senhora do Monte. Do grupo fundador, duas ainda vivem em Olinda, duas moram em Belo Horizonte e três faleceram, informa Irmã Maria Regina. Atualmente, o convento é ocupado por 17 religiosas, que têm como profissão rezar e orar.

“Nos reunimos sete vezes por dia para orar e durante os ofícios da manhã e da tarde as portas da igreja ficam abertas para quem quiser rezar junto com a gente”, convida Irmã Maria Regina, prioreza da Abadia de Nossa Senhora do Monte. A Liturgia das Horas, momento de oração pública e comunitária, começa às 4h45 com a Vigília, nome dado ao primeiro ofício do dia.

A próxima oração, às 5h50, é chamada de Laudes e antecede a missa das 6h30 de segunda a sábado e a celebração das 7h30 do domingo. “Temos a Hora Meridiana às 12h e as Vésperas no período da tarde. Por segurança, não abrimos a igreja para as Completas, o ofício das 19h30”, avisa. O prédio recebe os visitantes a semana inteira, pela manhã e à tarde, sem cobrar taxa de acesso.

Restauração

Conhecidas pelos biscoitos artesanais – os famosos bricelets – de fabricação própria, as monjas fazem a manutenção de rotina da Igreja do Monte, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) há 80 anos. “Estamos sempre ajeitando o telhado danificado por urubus, eles usam o nosso teto por causa da redução de árvores no bairro”, observa.

O prédio atual da Igreja do Monte é do século 18, com a preservação de trechos característicos dos séculos anteriores. “A fachada é rococó e a portada (cercadura em volta da porta principal) é seiscentista da primeira metade do século 17, de estilo maneirista muito clássica”, informa o engenheiro do Iphan Frederico Almeida. Na sacristia há um lavabo de pedra do século 17.

“É idêntico às duas pias do refeitório do Mosteiro de São Bento e servia para os padres lavarem as mãos”, acrescenta Irmã Maria Regina. A portada, com duas torres de pedra, foi restaurada em 1993 por escultores alemães. Na ocasião, o Iphan fez o reforço estrutural da edificação. A restauradora Débora Mendes recuperou a capela-mor, neoclássica, num trabalho executado em 2004.

Ao longo da obra de restauração, Débora Mendes encontrou a antiga barra de azulejo português da parede da capela e deixou fragmentos aparentes, como registro histórico. Também fez o mesmo procedimento com a pintura original jaspeada (semelhante à pedra jaspe) do altar nas cores azul e carmim e com outra pintura industrial mais recente na parede da igreja.

Serviço

Igreja do Monte
Praça Nossa Senhora do Monte, bairro do Monte
Fone: (81) 3429-0317

Últimas notícias