REFORÇO NAS INVESTIGAÇÕES

Polícia Civil inaugura nova sede do Laboratório de Combate à Lavagem de Dinheiro

A inauguração do novo equipamento aconteceu nesta quarta-feira (24)

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 24/10/2018 às 3:03
Foto: Reprodução/Google Street View
A inauguração do novo equipamento aconteceu nesta quarta-feira (24) - FOTO: Foto: Reprodução/Google Street View
Leitura:

A nova sede do Laboratório de Combate à Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil de Pernambuco foi inaugurada nesta quarta-feira (24). Funcionando dentro da Diretoria de Operações Estratégicas da Secretaria da Fazenda (Sefaz), na Rua Imperial, bairro de São José, área central do Recife, o equipamento conta com instalações mais amplas e acesso a novas tecnologias

A inauguração do novo laboratório contou com a participação do secretário da Fazenda, Marcelo Barros, do secretário-executivo da Secretaria de Defesa Social (SDS), Humberto Freire, e o chefe da Polícia Civil, Joselito Kherle do Amaral. 

“A polícia trabalha para combater as mais diversas modalidades delitivas, sobretudo as que desviam recursos do erário público. O laboratório tem papel importante na desarticulação e descapitalização dessas organizações e associações criminosas”, disse Kherle.

Para o chefe da polícia civil, o laboratório é uma importante ferramenta contra a corrupção e pode atuar localizando o caminho do dinheiro desviado dos cofres públicos para recuperar ativos que são produtos de crime. O equipamento deve possibilitar uma identificação mais ágil a ocultação e/ou dissimulação de bens e valores em atividades ilícitas. 

Segundo o secretário executivo da Fazenda, Bernado D'Almeida, o laboratório "é um marco para o combate à criminalidade, seja a sonegação ou de recursos e divisas".

Termo de cooperação

O termo de cooperação firmado entre a Secretaria de Defesa Social (SDS) e a Secretaria da Fazenda deverá fortalecer as ações de combate a crimes contra a ordem tributária. “O laboratório será um grande aliado no combate à sonegação e contribuirá para uma maior efetividade da execução das dívidas tributárias.”, disse o secretário da Fazenda, Marcelo Barros. 

DRACO

O fortalecimento do Laboratório de Combate a Lavagem de Dinheiro é uma das ferramentas previstas na Polícia Civil para conter o crime organizado em Pernambuco. No mesmo sentido, tramita na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), um projeto de Lei (PL) que cria o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRACO). Para o departamento, são previstas duas delegacias, uma com atuação voltada à capital e Região Metropolitana e a outra para as demais regiões do Estado.

De acordo com a Polícia Civil, o DRACO terá foco no combate a organizações criminosas que desviam e se apropriam de recursos públicos através da corrupção e outros crimes, como peculato. Essas quadrilhas, que usam meios ilegais para enriquecimento e poder paralelo, ultrapassam as fronteiras entre os estados e, por isso, de acordo com a Polícia Civil, há necessidade de um departamento específico com capacidade técnica mais ampla.

O Departamento vai unir as Delegacias contra a Ordem Tributária (DECCOT), a de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DPCRICI), de Polícia Interestadual e Capturas (POLINTER) e o Grupo de Operações Especiais (GOE). Segundo a chefia da Polícia Civil, até 2022, mais outras seis delegacias vinculadas ao DRACO serão criadas: na Zona da Mata Norte, Mata Sul, Agreste Setentrional, Agreste Meridional, Sertão do Moxotó e do Pajeú.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias