AUTORIZAÇÃO

Parentes enfrentam burocracias para liberação de corpo no IML

A vítima, um jovem natural da Paraíba de 23 anos, foi morta com um tiro há uma semana em Limoeiro

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 11/01/2019 às 18:12
Foto: Reprodução / TV Jornal
A vítima, um jovem natural da Paraíba de 23 anos, foi morta com um tiro há uma semana em Limoeiro - FOTO: Foto: Reprodução / TV Jornal
Leitura:

O corpo de um homem, que foi assassinado há uma semana em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, permanece no Instituto de Medicina Legal (IML), localizado no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, por questões burocráticas. Segundo familiares de José Antônio da Silva, de 23 anos, a vítima era natural do Estado da Paraíba e até o momento o governo paraibano não enviou autorização para que o corpo seja liberado.

Segundo Patrícia Romero, parente do jovem, o IML informou que as digitais da vítima só podem ser confrontadas na Paraíba e o governo ainda não enviou nenhuma resposta para a liberação.

IML

O IML informou à TV Jornal que já enviou as impressões digitais do jovem ao Instituto de Medicina Legal da Paraíba e aguarda todos os procedimentos de identificação serem concluídos para que ocorra a liberação. Segundo o IML, é imprescindível a identificação das digitais para a liberação de qualquer corpo.

Confira o vídeo

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias