GENEROSIDADE

'Maior doadora de leite' do Brasil vai repetir ato de amor

Michele Rafaela Maximino chegou a doar 480 litros de leite a diferentes bancos de Pernambuco; ela está grávida novamente

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 08/08/2019 às 13:30
Notícia
Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem
Michele Rafaela Maximino chegou a doar 480 litros de leite a diferentes bancos de Pernambuco; ela está grávida novamente - Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem
Leitura:

A ‘maior doadora de leite do Brasil’, como ficou conhecida Michele Rafaela Maximino, está a espera de mais um filho. Com o nascimento de sua terceira filha, que hoje tem sete anos, a pernambucana da cidade de Quipapá orgulhou o Estado após chegar ao marco de aproximadamente 480 litros doados em 2013, sensibilizando o país. Dessa vez, a técnica em enfermagem pretende adotar uma postura diferente em relação à doação, pois sofreu com o alta exposição, além de ter travado uma batalha judicial contra o apresentador Danilo Gentili, que a xingou. Mas apesar de tudo isso não vai deixar de praticar o ato de amor que salva tantas vidas.

Em entrevista ao Jornal do Commercio, a técnica em enfermagem demonstrou estar entusiasmada com a vinda do seu quarto filho e afirmou que será doadora, mas não quer "muita mídia, nem muito alarde". Por isso, não pretende se candidatar ao Guinness Book para concorrer ao título mundial, desejo que tinha anteriormente a fim de ‘estimular outras mães a fazerem o mesmo.’

>>> Ouça entrevista de Michele no podcast O Fato É...

Isso se deve a um episódio triste na vida da pernambucana que a fez parar com as doações à época. Michele foi chamada de ‘vaca’ em rede nacional pelo então apresentador do programa ‘Agora é Tarde’, Danilo Gentili, que chegou a ser condenado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) a pagar R$ 200 mil reais em indenização a ela.

"Mas isso é uma coisa [doar leite] que eu nunca vou me arrepender, porque salva vidas", contou Michele à reportagem.

De acordo com a doadora, os médicos desconfiaram, à época, que havia um aumento na glândula hipófise, o que explicaria o volume de leite exorbitante. Porém, os exames realizados não detectaram nenhuma síndrome ou distúrbio que esclarecesse o fenômeno. ‘Ele me disse que era um dom’, conta Michele. 

Ela diz ter produzido e doado o líquido durante a amamentação dos seus três filhos, mas só contabilizou o volume na gravidez da caçula, que passou quatro anos e meio mamando. "Eu doava três litros por dia, fora o que a minha filha tomava".

Doadora precisou mudar de cidade

Ela voltou há oito meses para Quipapá, sua cidade natal, na Zona da Mata pernambucana, pelo vínculo profissional do seu marido como professor do município. Sua família foi morar no Recife após sofrer chacotas no município da Mata Sul devido à exposição em rede nacional na época da veiculação do programa.

Michele alega que chegou a deletar todas as suas redes sociais porque fãs de Gentili mandavam ‘pornografia e mensagens rudes’ para ela, e revela não se sentir ‘à vontade relembrando o caso’.

Indenização não foi paga

Apesar da condenação, o apresentador recorreu ao processo e, por isso, a indenização de Michele ainda não foi paga. A grávida, porém, afirma não dar muita importância à decisão final da Justiça. ‘Se eu receber, ótimo; se não, tudo bem também.’

Uma liminar da Justiça ainda determinou retirada de material divulgado na web, sob pena de multa de R$ 5 mil diários. Além de Danilo Gentili, o humorista Marcelo Mansfield e a Rede Bandeirantes também foram condenados. 

Agosto dourado

Não é necessário produzir 480 litros para se tornar uma doadora. De acordo com o Instituto Nacional Figueira (Fiocruz), responsável por viabilizar a campanha Agosto Dourado de 2019, cada litro atende dez crianças e qualquer quantidade é aceita pelos bancos de leite materno.

De acordo com o Instituto, no Brasil, em 2018, 182.740 mulheres foram doadoras e 185.414 crianças receberam o leite que, no total, somou 215.328 litros captados. Pelo caráter sazonal das doações, os bancos sofrem com estoques baixos principalmente em festas de fim de ano, onde há escassez de até 60% do volume.

Daniele Aparecida da Silva, coordenadora do banco de leite do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, reitera a importância da amamentação e da doação. ‘Tanto para o bebê internado que é alimentado; tanto para a mãe que tem a aflição aliviada; e para a doadora, que reduz a possibilidade de desenvolver causadas pelo excesso do leite’.

Clique aqui e confira os bancos de leite disponíveis em Pernambuco.

A Fiocruz, instituto especialista em saúde, não confirma o título de Michele como maior doadora do Brasil com a intenção de não estimular a competição e sim propiciar o entendimento entre as mulheres de que qualquer doação é bem vinda.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias