CASO DÉBORA

Big Bompreço diz que nunca deixou de pagar tratamento e que vítima de acidente com kart no Recife pediu curso em Harvard

A rede de supermercados afirmou ainda ter sido surpreendido com declarações da jovem e seu advogado, que segundo a empresa, não correspondem à realidade

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 17/01/2020 às 7:50
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
A rede de supermercados afirmou ainda ter sido surpreendido com declarações da jovem e seu advogado, que segundo a empresa, não correspondem à realidade - FOTO: Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Leitura:

Após o Procon Pernambuco autuar o Grupo Big, ex-Walmart, e a empresa Adrenalina Kart Racing, em R$ 5 milhões, no caso de Débora Dantas, de 19 anos, vítima de um acidente com kart em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, em agosto de 2019, a rede de supermercados, por nota, afirmou nunca ter suspendido o pagamento do tratamento da jovem. Disse ainda que Débora, por meio de seu advogado, pediu benefícios sem relação com o tratamento, como o financiamento de um curso de Medicina na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

"O Grupo Big esclarece que jamais se negou, nem se negará, a custear os procedimento necessários à plena recuperação da saúde (de Débora)", diz trecho da nota. "Por intermédio do seu advogado, Débora então apresentou um lista de pleitos que não guardam nenhuma relação com o acidente ou com a sua saúde, como: financiamento de curso preparatório de sua escolha, em qualquer lugar do mundo; financiamento do curso da Universidade de Medicina de Harvard; custeio de plano de saúde internacional; casa em Longwood, nos EUA; e pagamento do valor de 10 milhões de dólares.", continua o comunicado.

>> Débora Dantas, jovem que se acidentou em kart no Recife, confirma pedido por Havard em conversa informal com hipermercado

O Big Bompreço afirmou ainda ter sido surpreendido com declarações da jovem e seu advogado, que segundo a empresa, não correspondem à realidade. Segundo a rede de supermercados, declarações "não representam a conduta que o Grupo Big tem adotado desde o início".

Leia a íntegra da nota:

"Em virtude da repercussão do acidente envolvendo Débora Stéfany Dantas de Oliveira, o Grupo Big esclarece que jamais se negou, nem se negará, a custear os procedimentos necessários à plena recuperação da sua saúde. A empresa recebeu com surpresa as manifestações dela e de seu advogado, que não correspondem à verdade nem representam a conduta que o Grupo Big tem adotado desde o início.

O acidente nas dependências do circuito Adrenalina Kart Racing, empresa desvinculada do Grupo Big, locatária do espaço onde operava o circuito. Independente de o fato ter acontecido em área usada por terceiro e, portanto, ser integralmente de responsabilidade deste, o Grupo Big prontificou-se a amparar Débora desde o primeiro momento, arcando com todos os custos de seu tratamento, sem medir esforços e sem nenhuma limitação de valores.

Até o momento, o tratamento foi realizado com êxito no Hospital Especializado de Ribeirão Preto, instituição referência em cirurgias de alta complexidade. Em outubro de 2019, foi concluída a primeira etapa do tratamento e iniciaram-se conversas entre o seu representante legal e o Grupo Big sobre a segunda etapa do tratamento, a se realizar ao longo de 2020.

Por intermédio do seu advogado, Débora então apresentou um lista de pleitos que não guardam nenhuma relação com o acidente ou com a sua saúde, como: financiamento de curso preparatório de sua escolha, em qualquer lugar do mundo; financiamento do curso da Universidade de Medicina de Harvard; custeio de plano de saúde internacional; casa em Longwood, nos EUA; e pagamento do valor de 10 milhões de dólares. Foi nessa oportunidade, ainda por meio do seu então advogado, que Débora sinalizou interesse em seguir com o seu tratamento nos Estados Unidos.

A consulta médica prevista para o dia 6 de janeiro no Hospital de Ribeirão Preto acabou, em razão desses fatos, não sendo confirmada por Débora, que sempre realizou os agendamentos de acordo com a sua conveniência.

O Grupo Big segue aguardando a definição de Débora a respeito da continuidade do seu tratamento em Ribeirão Preto, tendo em vista que a plena recuperação da sua saúde sempre foi prioridade da empresa. No entanto, as únicas manifestações por parte de Débora são aquelas veiculadas por meio da imprensa.

Em razão disso, o Grupo Big vem a público reiterar — como já havia feito diretamente a Débora — que não se nega, nem se negou, a seguir custeando totalmente o tratamento de Débora junto ao Hospital Especializado de Ribeirão Preto."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias