segurança

Operação Forte põe mais 510 policiais militares nas ruas da Região Metropolitana do Recife

A segunda fase da operação, em março, contemplará também Zona da Mata, Agreste e Sertão

Maria Ligia
Maria Ligia
Publicado em 04/02/2020 às 18:45
Notícia
Foto: JC Imagem/ Leo Motta
A segunda fase da operação, em março, contemplará também Zona da Mata, Agreste e Sertão - FOTO: Foto: JC Imagem/ Leo Motta
Leitura:

A Região Metropolitana do Recife (RMR) vai ganhar um reforço de 510 policiais militares como parte da Operação Força Ostensiva de Recobrimento Tático Extraordinário (Forte), lançada na tarde desta terça-feira (4) pelo Governo de Pernambuco, no Quartel do Derby, área central. 

De acordo com o secretário estadual de Defesa Social, Antônio de Pádua, o objetivo é reduzir a criminalidade em Pernambuco. "Essa operação é inovadora porque deixa o policial mais tempo nas ruas. Ele não está vinculado diretamente ou administrativamente a um batalhão. Eles vão estar 12 horas por dia, de domingo a domingo, nas ruas, fazendo policiamento ostensivo nas áreas identificadas de maior vulnerabilidade", afirmou.

Nesta primeira fase, 150 agentes motorizados estão sendo distribuídos pelos municípios de Igarassu, Araçoiaba, Abreu e Lima, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e Jaboatão dos Guararapes. Mais 280 formam uma patrulha a pé nos grandes corredores e centros comerciais do Recife, e, outros 80, no Sítio Histórico de Olinda.

Em março, quando for decretada a segunda etapa da operação, o efetivo será remanejado para o interior do Estado, contemplando os municípios de Arcoverde, Caruaru, Palmares, Vitória de Santo Antão e Nazaré da Mata. Ao todo, 150 policiais motorizados serão destinados ao Agreste e Zona da Mata, 30 para o Sertão, e 150 permanecerão na RMR. O restante será responsável pelo policiamento a pé. O método Koban de polícia comunitária será empregado no Cabo e nos bairros de Prazeres e Muribeca, em Jaboatão.

Segundo o governador Paulo Câmara (PSB), a expectativa é ter um ano mais pacífico em relação aos números do programa Pacto Pela Vida. "O planejamento foi feito com esse reforço: seja os 500 homens e mulheres na PM, seja a formação de novos oficiais em janeiro, o ingresso que ocorreu ontem (segunda-feira, 3) de 400 agentes da Polícia Civil. Tudo isso focando em dar celeridade às investigações, atuar mais presente nas ruas e dar realmente condição para a gente ter ter um 2020 que mantenha a tendência dos últimos dois anos, de uma redução consistente nos índices de redução de violência em Pernambuco", avaliou.

Método Koban

Coordenador de planejamento operacional da PM, o tenente-coronel Ricardo Lopes explicou que o método japonês Koban já é aplicado em Paulista e no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da capital. “A tendência é ir cada vez mais aumentando”, adiantou. “ Koban é policiamento de proximidade. É como a polícia, junto com a comunidade, começa a conhecer a rotina do bairro para facilitar o patrulhamento”, falou. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias