JC na folia

No Carnaval 2017, vídeos contam a história de gigantes do frevo

Abrindo a série Ensaios de Carnaval, o Clube das Pás volta ao grupo especial com gosto de gás e sede de campeão

Ciara Carvalho
Ciara Carvalho
Publicado em 11/02/2017 às 18:03
Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Não tem explicação. A paixão que supera, ano após ano, o desafio de colocar um clube na rua passa por cima de qualquer dificuldade. Pode faltar dinheiro (e falta sempre), patrocínio, apoio. Pode nem ter um lugar para chamar de sede, apesar de ser centenário. Simplesmente é impossível não desfilar. O bloco fora da rua é como se não houvesse Carnaval. E os obstáculos parecem ser ainda maiores quanto mais tradicional, mais história e glórias passadas a agremiação carrega. Nesta página, a mais fina flor do Carnaval do Recife. De hoje até sexta-feira, o JC Online e a TV JC exibem a série de vídeos Ensaios de Carnaval com esses seis gigantes da folia de Pernambuco. Um panteão de clubes imortalizados nas canções, no imaginário e no coração dos foliões.

Prestes a viver seu 129º Carnaval, o Clube das Pás vem com gosto de gás este ano. Também pudera. Após três anos longe do grupo especial, retorna com sede de vitória. Na raça, vai colocar na avenida nada menos que 390 componentes para cantar o enredo A festa do boi voador de Maurício de Nassau. “Vai ser o maior espetáculo da terra. Vamos entrar para fazer história”, empolga-se a coordenadora do barracão, Maria Luíza Cerqueira. Na sede do tradicional clube, no bairro de Campo Grande, na Zona Norte da capital, o sentimento já é de campeão. “Podemos até perder, mas uma coisa é certa: vamos fazer bonito na avenida”, garante o carnavalesco José Hilário da Silva, homem de samba e pela primeira vez à frente do desfile do Clube das Pás.

Bicampeão na categoria clube de frevo, o Bola de Ouro trabalha para repetir o feito mais uma vez. Não é tarefa fácil. O clube, um dos homenageados do Carnaval do Recife em 2015, sequer tem sede própria. Isso significa menos dinheiro entrando ao longo do ano. O aperto financeiro é compensado pelo amor incondicional ao estandarte centenário. “É esse amor que move Bola de Ouro. A felicidade de ver o clube na avenida é maior que tudo”, sintetiza Gláucia Araújo, vice-presidente da agremiação.

Alma e coração

Garra é o que não falta a Nadira Maria de Almeida, a alma e o coração do Bloco Batutas de São José, fundado em 1932. É ela, praticamente sozinha, quem carrega a missão de colocar a agremiação na rua. Todas as fantasias são costuradas em sua casa, na Linha do Tiro, também na Zona Norte da capital, pelas mãos da própria Nadira. “Enquanto eu tiver vida, Batutas não vai desaparecer”, afirma uma das mais importantes damas da folia pernambucana.

Alexandre Gondim/JC Imagem
Clube das Pás completa 129 anos neste Carnaval de 2017 com muito gás pra desfilar - Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem
Clube das Pás completa 129 anos neste Carnaval de 2017 com muito gás pra desfilar - Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem
Clube das Pás completa 129 anos neste Carnaval de 2017 com muito gás pra desfilar - Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem
Clube das Pás completa 129 anos neste Carnaval de 2017 com muito gás pra desfilar - Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem
Clube das Pás completa 129 anos neste Carnaval de 2017 com muito gás pra desfilar - Alexandre Gondim/JC Imagem

 

Com a sede à venda, o clube de frevo Vassourinhas não vai deixar o momento difícil interromper uma história que já soma quase 130 Carnavais. O diretor artístico da agremiação, Maurício Batista, confirma que o clube tem encontro garantido com os foliões na Avenida Nossa Senhora do Carmo, no bairro de Santo Antônio, no Centro, na Terça-Feira Gorda.

No ano em que completa 85 anos, o Banhistas do Pina está cheio de planos. Quer criar um memorial para guardar a história do bloco, que inclui, entre tantas glórias, o orgulho de ter sido 24 vezes campeão do Carnaval recifense. Um tantinho mais antigo, com 90 anos de tradição, o bloco Madeira do Rosarinho afina os últimos ajustes para o desfile no Pátio do Carmo, no Domingo de Carnaval. “Vamos sair bonito para levar o título”, garante o presidente do bloco, Reginaldo de Santana, o Duca. No ano passado, faltaram 28 décimos na pontuação para a agremiação levantar a taça de campeã. Este ano, ele garante, a história vai ser diferente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias