Folia 2017

Banhistas do Pina completam 85 Carnavais juntando memória e identidade

Bloco quer criar memorial para resgatar história e garantir longevidade junto às novas gerações

Ciara Carvalho
Ciara Carvalho
Publicado em 15/02/2017 às 7:40
Ricardo B. Labastier/JC IMAGEM
Bloco quer criar memorial para resgatar história e garantir longevidade junto às novas gerações - FOTO: Ricardo B. Labastier/JC IMAGEM
Leitura:

Já se vão três gerações e 85 Carnavais na história. Tantas glórias, títulos, desfiles inesquecíveis, personagens lendários. Pisar no salão da sede de Banhistas do Pina tem algo de mágico. Não apenas pela tradição. É o sentimento do quanto a construção do bloco se confunde com a própria formação do bairro, dos moradores e da cultura do Recife.

Fundado em 1932 por Julieta Leite, que não queria saber de frevar, mas de cantar, Banhistas quer transformar essa rica trajetória em memória e identidade. Deseja aproveitar a sede para abrigar um memorial. A ideia é por um pé no passado, pensando nas novas gerações.

OLHO NO FUTURO

No quarto dia da série de videorreportagens “Ensaios de Carnaval, o voo de Banhistas rumo ao futuro. “Queremos nos voltar para a nossa história, valorizar os que fizeram de Banhistas o que ele é hoje. É uma forma de garantir permanência e longevidade”, diz o carnavalesco Lindivaldo Júnior, filho do presidente Lindivaldo Leite e neto da fundadora do bloco.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias