FOLIA

Carnaval de Pernambuco tem programação imperdível no interior

Bezerros, Pesqueira, Afogados da Ingazeira e Triunfo são cidades com muitas atrações. Nelas, mascarados fazem a festa

Margarida Azevedo Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 02/03/2019 às 15:30
Foto: Diego Nigro / Acervo JC Imagem
Bezerros, Pesqueira, Afogados da Ingazeira e Triunfo são cidades com muitas atrações. Nelas, mascarados fazem a festa - FOTO: Foto: Diego Nigro / Acervo JC Imagem
Leitura:

Não é à toa que o pernambucano tem fama de dizer que, no seu Estado, tudo é maior ou melhor. No Carnaval, a mania de grandeza parece ser verdadeira quando se observa a riqueza da festa em cidades do interior. Da Zona da Mata, passando pelo Agreste e chegando até o Sertão de Pernambuco, a folia é representada por papangus, caiporas, tabaqueiros, caretas, lanceiros, bonecos e tantos outros personagens. Se você é daqueles foliões que adora novidade, escolha o destino, arrume a bagagem e descubra que o Reinado de Momo vai muito além das ladeiras de Olinda e das ruas do Recife Antigo.

Distante 105 quilômetros da capital pernambucana, Bezerros, no Agreste, destaca-se pelos papangus. “A cada ano cresce mais o Carnaval do município. Os papangus são conhecidos internacionalmente. Um visitante conhece, gosta, no ano seguinte convida um amigo, que depois chama outro. A festa é repleta de famílias. E nosso carro-chefe é a segurança”, destaca o secretário municipal de Turismo e Cultura, Vando Dias.

É neste domingo que os mascarados estão em maior quantidade por causa do concurso que escolhe os mais criativos. Eles estarão às 9h na Praça Centenária, um dos sete polos da folia bezerrense. “É bom chegar cedo, até no máximo 10h, pois depois o fluxo de carros e ônibus aumenta bastante”, orienta Vando.

Para a garotada, a prefeitura repete um polo criado ano passado: o Espaço da Criança, que terá mágicos, palhaços, teatro e outras atividades na Praça da Bandeira. O Forró do Papangu, perto da Igreja da Matriz, no Centro, é outro point que atrai muita gente. A expectativa é de que cerca de 400 mil pessoas circulem pela cidade neste Carnaval.

Também no Agreste, os caiporas, outro time de mascarados, invadem Pesqueira, a 216 quilômetros de Recife. Os brincantes usam paletó, camisa de mangas compridas e calça, além de um saco de estopa que serve como máscara. Visite a cidade domingo ou terça-feira para encontrá-los.

O octogenário Bloco Lira da Tarde, fundado em 1934, vale ser acompanhado. Sai pelo Centro domingo, segunda e terça-feira, sempre a partir das 16h. Não deixe de conferir os Cambindas Velhas, agremiação centenária caracterizada por homens vestidos de mulheres.

SERTÃO

No Sertão, a farra é garantida pelos tabaqueiros em Afogados da Ingazeira, pela bicharada de Mestre Jaime em Salgueiro, e pelos caretas de Triunfo. Os tabaqueiros são primos do papangu e do careta. Do primeiro, herdaram as máscaras. Do segundo, os chocalhos presos nas cinturas e os chicotes.

O nome do personagem faz referência ao rapé (pó resultante de folhas de tabaco torradas e moídas) que era carregado pelos primeiros brincantes. Já os caretas se destacam pelos duelos com chicotes e pelas divertidas placas com sátiras que carregam pelas ruas de Triunfo. Os dois personagens podem ser vistos em todos os dias da folia de Afogados e de Triunfo.

Últimas notícias