Zona Azul

População desaprova Zona Azul no Mercado da Encruzilhada

Medida foi implantada nesta sexta-feira (3) e não agradou frequentadores e comerciantes do local

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Publicado em 03/11/2017 às 13:00
Foto: Bruno Vinícius/Jornal do Commercio
Medida foi implantada nesta sexta-feira (3) e não agradou frequentadores e comerciantes do local - FOTO: Foto: Bruno Vinícius/Jornal do Commercio
Leitura:

O entorno do Mercado da Encruzilhada, no bairro homônimo, na Zona Norte do Recife, ganhou a Zona Azul, sistema de
estacionamento rotativo da Prefeitura do Recife (PCR), nesta sexta-feira (3). Com a implantação, frequentadores e comerciantes do local terão que pagar um valor de R$ 3,00 para estacionar nas redondezas do equipamento. De acordo com a PCR, a medida veio para democratizar o espaço público, aumentando a rotatividade de vagas no local. Para a maioria dos motoristas, que já sentem a implantação do sistema, o efeito não é positivo.

Quem frequentou o local já conferiu que as redondezas do mercado já estão sinalizadas. Os estacionamentos, localizados
em três ruas - Amaro Coutinho, Carlos Borromeu e Doutor José Maria -, estão com as 130 vagas disponíveis. Destas, seis
são reservadas para idosos, cinco a deficientes e quatro ao serviço de carga e descarga. Os talões podem ser comprados em
alguns postos dentro do próprio equipamento.

Há quem já tenha sentido os impactos da implantação. A comerciante Maria Gorete, de 44 anos, foi de ônibus para o
local de trabalho para evitar o pagamento do estacionamento. "Eu vim de ônibus já hoje, porque não temos a opção de onde
estacionar. Não vamos pagar, porque chegamos de manhã e saímos só às 17h30 ou 18h", relata. Ela ainda comenta que a medida vai dificultar a vida dela e de outros comerciantes: "Todo mundo aqui tem carro, né? Deviam ter pensado no
trabalhador também, que já paga os devidos impostos", explica.

A opinião também é a mesma para os comerciantes, Givaldo de Souza, 59 anos, e de Severina Francisca da Silva, 56, que
trabalham na Encruzilhada há mais de 20 anos. "Para todos os locatários é ruim. Estamos aqui, de domingo a domingo, e não
temos condições de pagar o estacionamento todos os dias. A gente devia ter o direito de estacionar, gratuitamente, ao  redor do mercado", explicou Severina. Givaldo comenta que o movimento já caiu nesta sexta-feira (3). "Como é feriadão, aqui já devia estar lotado. As pessoas estão indo embora mais cedo também, que é para não pagar mais de um talão", afirmou.

Desinformação

Maria dos Santos* estacionou no local, mas não sabia que a medida já estava valendo. "Já é para a segunda-feira (6), né?" - questionou ao ser perguntada pela reportagem do JC. "Então já fui multada", explicou ao ser respondida sobre o dia correto de implantação. A desinformação dela foi o reflexo da falta de agentes, que foi constatada enquanto a reportagem esteve no local. Não havia orientação nos três pontos indicados pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). Em nota, a CTTU negou a falta de agentes e disse que conta com efetivo fixo no entorno do Mercado para orientar os condutores.

Flanelinhas

Trabalhando no local como flanelinha há 8 anos, José Ricardo Nascimento, 44 anos, já sentiu a queda no rendimento após a
medida. "Em duas horas, eu levava R$ 30 para casa, hoje, no máximo, consigo R$ 8. Eu tinha um estacionamento de 11
vagas, hoje eu só tenho quatro", afirmou.

Entenda como funciona

A Zona Azul funciona no horário das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 8h às 12h, aos sábados. O tempo máximo de
permanência varia entre duas e cinco horas, a depender da sinalização indicativa nos locais, custando R$ 3,00. São 130  vagas, as quais seis são reservadas para idosos, cinco a deficientes e quatro ao serviço de carga e descarga. Os talões podem ser comprados em alguns postos dentro do próprio equipamento.

Expansão

O próximo a receber a Zona Azul é o Mercado de Casa Amarela, também na Zona Norte do Recife, que vai contar com 60 vagas. Destas, cinco são para idosos, três para pessoas com deficiência e três para carga e descarga. Atualmente, Recife conta com mais de três mil vagas rotativas implantadas nos bairros do Recife, São José, Santo Antônio, Boa Vista e Madalena.

*A pessoa pediu para não ter a identidade revelada

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias