ATROPELAMENTO

Ciclista é atropelada em ciclofaixa na Zona Norte do Recife

Lígia Lima é coordenadora da Ameciclo e chegou a ser socorrida, mas já recebeu alta. Em nota, a associação cobra da CTTU ajustes na ciclofaixa

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 11/11/2017 às 15:54
Foto: Reprodução / Facebook Ameciclo
Lígia Lima é coordenadora da Ameciclo e chegou a ser socorrida, mas já recebeu alta. Em nota, a associação cobra da CTTU ajustes na ciclofaixa - Foto: Reprodução / Facebook Ameciclo
Leitura:

Atualizada às 19:43

Uma ciclista foi atropelada, na noite dessa sexta-feira (10), em plena ciclofaixa da Estrada do Encanamento, no bairro de Casa Forte, Zona Norte do Recife. Lígia Lima, que é coordenadora da Associação de Ciclistas da Região Metropolitana do Recife (Ameciclo), chegou a ser socorrida pelo Samu após ser atropelada por um motorista de um carro, que teria invadido o espaço que é destinado aos ciclistas. Ela foi medicada e passou por exames por ter batido com a cabeça ao cair, mas recebeu alta e passa bem, apesar de ainda sentir dores no corpo.

De acordo com a Ameciclo, o condutor seria um idoso que não fugiu do local, porém não teria admitido a culpa por ter atropelado a ciclista. "O atropelamento ocorreu porque o condutor, que estava com o veículo parado irregularmente sobre a calçada, acessou a via invadindo a ciclofaixa e atingiu a ciclista, que estava na ciclofaixa, por trás. Lígia sem chance de uma reação rápida foi imediatamente ao chão, desmaiando por alguns segundos", diz a Associação.

Em nota publicada na página da Ameciclo no Facebook, a associação reclama que faltam "muitos ajustes" na ciclofaixa e cobra fiscalização à Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). Um dos coordenadores da Ameciclo, Victor Senna contou que até o momento nenhum boletim de ocorrência foi prestado e que o grupo ainda estuda a ação que será tomada.

Confira trecho da nota da Ameciclo

A ciclofaixa em questão foi avaliada pela Ameciclo em 2016 e constatada que precisava de muitos ajustes. A CTTU disse que estava realizando a manutenção nas vias de acordo com nossa avaliação e havia prometido fiscalização permanente no local. Nunca foi relatada a presença de agentes no entorno e a ciclofaixa não atendeu as principais reivindicações da nossa avaliação: o alargamento dela e a implantação de fiscalização de velocidade no local. Lígia caiu para fora da ciclofaixa e quem pedala no local sabe que em outros horários haveria motoristas bem mais rápidos que poderiam ter atropelado-a em seguida, inclusive ônibus. Cezar Martins, associado da Ameciclo, há cerca de um mês atrás foi atropelado na Av Mário Melo, onde, conforme promessa da CTTU, deveria ter uma estrutura cicloviária desde setembro.

Em nota, a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) informou que realiza um trabalho contínuo de vistoria para executar a manutenção da sinalização de trânsito da cidade, também priorizando as rotas cicláveis. O trabalho entra no cronograma da equipe técnica responsável sempre que é identificada a necessidade de renovação da pintura ou reposição das placas de sinalização vertical. A Autarquia afirmou que a ciclofaixa implantada na Estrada do Encanamento foi requalificada no último mês, bem como a da Estrada do Arraial, que, juntas, contam com 5 km de extensão e compõem a Ciclofaixa Casa Amarela. Em relação à largura do equipamento, a CTTU garantiu que o tamanho atende às recomendações previstas no manual de sinalização do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias