Manifestação

Rodoviários encerram ato após quatro horas de paralisação

O ato foi organizado pela oposição ao Sindicato dos Rodoviários

JC Online
JC Online
Publicado em 12/07/2018 às 12:16
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
O ato foi organizado pela oposição ao Sindicato dos Rodoviários - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Após quatro horas de paralisação, motoristas e cobradores vinculados à oposição ao Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco finalizaram a manifestação que realizava em vias do Centro do Recife nesta quinta-feira (12). O ato aconteceu na Avenida Guararapes, na Rua do Riachuelo, na Ponte Duarte Coelho, na Rua da Aurora e na Avenida Cruz Cabugá, entre outros pontos. Os manifestantes pedem reajuste de salários e fazem parte da oposição, composta por três grupos: a Oposição Rodoviária O Guará/CSP Conlutas; a Família Rodoviária/UGT e a Oposição Rodoviária/CUT. A manifestação foi encerrada por volta de 12h. Além das vias, o Terminal Integrado da Macaxeira também foi fechado.

Entenda o ato

Em nota, o grupo O Guará afirmou que está insatisfeita com "reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação", proposto pela classe patronal em mesa de negociação. "Queremos este ano, além da inflação, aumento real para compensar parte da perda que tivemos nos últimos anos. A proposta dos patrões foi de um reajuste de 2,82%, enquanto o índice acumulado da inflação está em 4,39%. Isso não é uma proposta, é uma vergonha. Queremos melhores condições de trabalho para atender com qualidade a população, queremos mais ônibus, queremos que os ônibus tenham motorista e cobrador", afirma o grupo.

Urbana-PE

Em entrevista à Rádio Jornal, o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros em Pernambuco (Urbana-PE), Fernando Bandeira, comentou que o sindicato vai identificar as pessoas responsáveis pela paralisação. "O problema é que a grande maioria não é rodoviário, participa de grupos políticos. Mas estamos vendo os líderes do movimento. Aqueles que não são rodoviários, a gente vai entrar com ação civil pública. Os que forem rodoviários vão ser advertidos e, quiçá, podem ser demitidos", disse Bandeira.

Sindicato dos Rodoviários

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana declara não ter qualquer envolvimento com a ato realizado nesta quinta. Em nota emitida nessa quarta-feira (11), declarou que "o espaço para oferecimento de propostas e contrapropostas nesse momento é na mesa de negociação.".

Leia a íntegra dos posicionamentos:

Nota da oposição

Novamente a patronal provoca os rodoviários oferecendo na mesa de negociação um reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação. Não quer nem debater o dissídio de 2017 e os demais pontos da pauta.

O sindicato não pode aceitar essa proposta! Deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar. Se não fizer, é mais uma prova de que é um sindicato pelego, que só serve aos patrões.

Já avisamos: a patronal tem até o dia 11/07 para atender nossa pauta. Caso contrário, no dia 12/07 vamos fazer um grande protesto pela manhã, em todas as avenidas e terminais dessa cidade.

Queremos construir esse dia de luta junto com o sindicato, junto com Grilo e junto com as oposições.
Só a luta muda a vida! Só demonstrando força conquistaremos nossas reivindicações.

Nota do Sindicato dos Rodoviários

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e RMR informa que não há indicativo de greve ou paralisação da categoria até o momento, devido às negociações estarem em curso e a uma nova rodada de negociação agendada para esta quinta-feira, dia 12/07. Portanto, o espaço para oferecimento de propostas e contrapropostas nesse momento é na mesa de negociação.

Na última reunião da rodada de negociação da Campanha Salarial 2018/2019, com a classe patronal, ocorrida segunda-feira (dia 09/07), os patrões propuseram um reajuste linear de 2,82%, que foi prontamente rebatido pelo sindicato, que estipulou uma proposta de 4,5% de aumento no salário e aumento de 11% no ticket de alimentação. Na ocasião, houve ainda uma contra proposta do Sindicato dos Rodoviários com os seguintes pontos:

- Proibição da terceirização;

- Garantia dos postos de trabalho de cobradores:

- Homologação sem custos na sede do sindicato.

A próxima reunião, que acontece nesta quinta-feira (12), será às 15h, na sede da Secretaria das Cidades de Pernambuco.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias