FERIADÃO

Alto fluxo de veículos no feriado é um perigo para quem mora às margens de rodovias

A atenção deve ser dobrada não só para os motoristas que circularão nas vias, mas também para os pais das crianças que moram às margens de alguma rodovia, e já convivem com o perigo diariamente

Thiago Cabral
Thiago Cabral
Publicado em 12/10/2018 às 8:32
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
A atenção deve ser dobrada não só para os motoristas que circularão nas vias, mas também para os pais das crianças que moram às margens de alguma rodovia, e já convivem com o perigo diariamente - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

As crianças são um dos grupos mais vulneráveis a ocorrências no trânsito. Por isso, neste dia dedicado a Nossa Senhora da Aparecida- també m conhecido como o Dia das Crianças-, a preocupação com os pequenos deve ser ainda maior. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) irá intensificar a fiscalização nas principais rotas do estado para prevenir que o feriado deste ano não seja tão letal quanto o do ano passado- quando foram registradas nove mortes. A atenção deve ser dobrada não só para os motoristas que circularão nas vias, mas também para os pais das crianças que moram às margens de alguma rodovia, e já convivem com o perigo diariamente.

Segundo dados do seguro DPVAT, que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, em 2017 , foram 3.834 vítimas indenizadas, na faixa etária de 0 a 7 anos, em todo o Brasil. Dessas vítimas, 2,4 mil, cerca de 63% do total, foram de pedestres. Demonstrando que a maior incidência de acidentes com crianças são os atropelamentos. Em Pernambuco a situação não é diferente. Neste ano, de janeiro a setembro, já ocorreram 97 acidentes envolvendo crianças- destes 68 foram atropelamentos. O total de acidentes com crianças, resultou em 70 vítimas com invalidez permanente, outras 16 fatais, além de 11 que precisaram de reembolso com despesas médicas em hospitais particulares. Em 2017, foram Às margens da BR-101 no sentido Norte, mais especificamente em Igarassu, no km 25 da rodovia, todos os dias a auxiliar de serviços gerais Sônia Vieira, 34, peleja para atravessar a rodovia e levar o seu filho Cauã, de 5 anos, à escola.

Com o olhar atento ao atravessar, a mãe, que já presenciou vários atropelamentos, opta por cruzar a estrada sem usar a passarela e considera a alternativa mais segura. “Embora exista a passarela, usá-la é também, ou mais perigoso que atravessar a pista, porque usando a passarela corremos risco de assaltos. E isso não temos controle”, comparou. “Dá para atravessar a estrada de forma segura, é só observar a distância do carro para passar no momento mais seguro”, sugeriu. Apesar do risco cotidiano que Sônia passa ao atravessar a pista, a opção não se tornará tão viável com o aumento de carros apontado pela PRF. De acordo com o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) estima que as estradas de Pernambuco devem receber um acréscimo em torno de 40 % no fluxo de veículos em relação aos dias normais, na ida e na volta, por conta do feriado.

As concessionárias da Rota do Atlântico e Rota dos Coqueiros estima que 130 mil veículos devem seguir em direção às praias do litoral Sul, de quinta a domingo. A fiscalização da PRF terá como foco as infrações mais graves, como o excesso de velocidade, as ultrapassagens indevidas, o uso irregular de motocicletas e a mistura de bebida e direção. “Por isso vamos intensificar a fiscalização, utilizando os radares e etilômetros, coibindo os excessos de velocidade e a combinação de álcool com direção. Para que esse feriado seja menos violento que o ano passado”, observou a assessora de comunicação da PRF, Elissa Urquiza.

PUNIÇÃO

A assessora destacou que o condutor deve estar atento também às normas para transportar crianças no veículo. “Crianças com menos de um ano é no bebê conforto; de 1 a 4 anos é na cadeirinha; de 4 até 7,5 é no assento de elevação; de 7,5 até 10 anos deve andar no banco de trás com o cinto do passageiro. A infração é gravíssima, vale sete pontos na carteira e uma multa de R$ 293, 47. Mas mais do que a multa o importante é a segurança. Esses dispositivos estão salvando muitas vidas”, alertou Urquiza.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias