Metrô

Passagem do metrô do Recife aumenta neste domingo (8)

Mudanças de tarifas foram autorizadas pela justiça. Reajustes escalonados acontecem até março de 2020

Anna Tenório
Anna Tenório
Publicado em 07/09/2019 às 20:26
Notícia
Felipe Ribeiro/ JC Imagem
Mudanças de tarifas foram autorizadas pela justiça. Reajustes escalonados acontecem até março de 2020 - FOTO: Felipe Ribeiro/ JC Imagem
Leitura:

Após pane no Ramal Camaragibe, passageiros da Região Metropolitana do Recife (RMR) se preparam para novo reajuste das tarifas do transporte e fica mais cara. A partir deste domingo (8), a passagem do metrô do Recife recebe o terceiro aumento entre os previstos desde maio deste ano, quando o bilhete passará a custar R$ 3. O segundo reajuste aconteceu no dia 7 de julho, quando a passagem passou de R$ 2,10 para R$ 2,60. Até março de 2020, depois de passar por seis reajustes escalonados, a tarifa ficará em R$ 4.

O reajuste das tarifas foi autorizado pela juíza Maria Edna Fagundes Veloso, titular da 15ª Vara Federal Cível, de forma gradual. O novo valor da passagem se estende do dia 8 de setembro até o dia 3 de novembro, quando a tarifa sofre um novo reajuste, passando a custar R$ 3,40.

Confira todos os aumentos que ocorreram e ocorrerão na passagem do metrô do Recife:

- 5 de maio de 2019- R$ 2,10
- 7 de julho de 2019 - R$ 2,60
- 8 de setembro de 2019 - R$ 3
- 3 de novembro de 2019 - R$ 3,40
- 5 de janeiro de 2020 - R$ 3,70
- 7 de março de 2020 - R$ 4,00

Na época do anúncio do reajuste, o superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Leonardo Villar Beltrão, alegou que a medida evitará uma paralisação total do sistema, por falta de recursos financeiros. Porém, a CBTU Recife afirmou que o aumento diminuirá apenas 20% do déficit de gastos com operação, folha de pagamento e indenizações do metrô.

Ainda de acordo com o órgão, o custo previsto para 2019 no Grande Recife é de R$ 541,2 milhões, enquanto a arrecadação é de até R$ 70 milhões. Ao final dos aumentos, segundo a CBTU, a arrecadação pode chegar a R$ 130 milhões, o que ainda não cobriria o custo de operação.

Metrô quebrado

Desde o dia 7 de julho, quando houve o último reajuste, os usuários enfrentaram diversos problemas que paralisaram a operação de partes do metrô do Recife. Na semana passada, uma rede de pesca, encontrada em cima de um dos trens do metrô, causou dano e paralisação da linha Centro. A operação do ramal Camaragibe foi interrompida na segunda-feira (26) após uma pane elétrica perto da estação Coqueiral. Na terça, todas as estações amanheceram sem funcionar.

No dia 22, a linha Sul do metrô passou quatro horas paralisada depois que um trem apresentou falha na alimentação de energia e parou entre as estações Tancredo Neves e Shopping. Com a quebra, os passageiros desceram do trem e andaram pelos trilhos. No dia 18 de agosto, a linha Centro passou quatro dias sem funcionar por causa de problema nos cabos de energia que alimentam os trens.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias