Coronavírus

Por conta do coronavírus, PRF avalia possibilidade de suspender bafômetro

A medida visa proteger os policiais do contágio pelo novo coronavírus

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 03/03/2020 às 17:26
Notícia
Foto: Divulgação/PRF
A Polícia Rodoviária Federal disponibilizará ao público pernambucano um canal de contato através do WhatsApp - FOTO: Foto: Divulgação/PRF
Leitura:

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou na tarde desta terça-feira (3) à reportagem do Jornal do Commercio que está avaliando a possibilidade de suspender parcialmente o uso do bafômetro em blitz. A medida visa proteger os policiais rodoviários do risco de contágio do novo coronavírus (COVID-19).

>> Em meio ao coronavírus, sindicato da PRF-PE quer suspender o teste do bafômetro

>> Novo coronavírus está ficando mais complexo, mas contenção é possível, diz OMS

>> Após surto de coronavírus, duas mil máscaras são roubadas de hospital na França

Segundo o órgão, está sendo realizado pela área de saúde da instituição um estudo para analisar a possibilidade da implementação dessa medida. O documento enviado pelo Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Pernambuco (SINPRF–PE) propõe que os testes sejam feitos apenas quando houver evidências ou sinais que o condutor fez o uso de bebidas alcoólicas.

O presidente do SINPRF–PE, Thiago Arruda, explicou que “o procedimento lida com a tecnologia dos etilômetros passivos, onde o aparelho capta o ar do ambiente. Com isso, a gente tem uma exposição mais do que necessária para a atividade do policial rodoviário federal. Nossa preocupação é que, com esse contato excessivo, o policial não venha a ser um vetor da doença dentro da sociedade”. A informação foi divulgada em entrevista ao Programa Passando a Limpo, da Rádio Jornal, nesta terça-feira.

Trâmite

A medida não tem previsão para ser colocada em prática, ou ser rejeitada. O documento foi enviado na segunda-feira (2) para a Superintendência da PRF, em Brasília. Após ser avaliado pela área de saúde da instituição, dependendo do parecer, a documentação segue para a Diretoria de Operações para, enfim, ser reenviado para Pernambuco com um laudo definitivo da situação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias