INSEGURANÇA

Comboios estão de volta à rota da Sulanca

Após últimos episódios de violência, que deixaram 6 feridos, a PM anunciou, ontem, o reforço das ações nas estradas

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 07/03/2012 às 8:36
Após últimos episódios de violência, que deixaram 6 feridos, a PM anunciou, ontem, o reforço das ações nas estradas FOTO:
Leitura:

CARUARU - Os novos episódios da onda de assaltos a comerciantes da Feira da Sulanca, que vem causando terror no Agreste, provocaram a reação das Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal. Horas depois das últimas sete investidas de quadrilhas, que deixaram seis feridos em rodovias da região, representantes dos órgãos de segurança se reuniram na tarde de ontem, no Recife e em Caruaru, para definir ações de combate a esse tipo de crime. Como primeira medida, a Polícia Militar promete voltar a realizar os comboios de proteção aos sulanqueiros que saem de vários Estados para comprar no Polo de Confecções do Agreste.

"Vamos desencadear uma ação para organizar comboios de proteção e definir outras medidas para combater esse tipo de crime", anunciou o coronel Luiz Aureliano, comandante da Polícia Militar no Agreste. Segundo ele, outra reunião será realizada esta semana com comandantes do policiamento da Zona da Mata, onde também foram registrados assaltos.

Além da reunião em Caruaru, representantes da Secretaria de Defesa Social (SDS) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) se encontraram no Recife para definir formas de intensificar o combate a esse tipo de crime. Na ocasião, ficou definido que a PRF vai fazer um levantamento dos pontos mais críticos das rodovias, que serão alvos de ações das polícias. Atualmente, 60 agentes rodoviários federais fazem a segurança no Agreste. A Polícia Rodoviária também informou que vai estudar formas de ajudar a PM a realizar os comboios na área. A corporação revelou que esse tipo de ação deixou de ser realizada por causa das mudanças no horário da feira, em Caruaru.

Leia mais no JC desta quarta (7)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias