trânsito

Nova regra para circulação de caminhões no Centro começa a vigorar

Transportes de carga com mais de 6 metros de comprimento terão mobilidade restringida a determinadas avenidas

Thiago Neuenschwander Cavalcante
Thiago Neuenschwander Cavalcante
Publicado em 07/05/2012 às 7:45
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Transportes de carga com mais de 6 metros de comprimento terão mobilidade restringida a determinadas avenidas - FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

A partir desta segunda-feira (7), os bairros do Recife, São José e Santo Antônio ganham novas regras de circulação para grandes caminhões. Os veículos com mais de 6 metros de comprimento terão a circulação limitada nas regiões, ficando restringidos a trafegar por avenidas específicas.

A medida estabelecida pela Companhia de Trânsito e Transportes Urbanos (CTTU) tentará melhorar a fluidez do tráfego nas áreas, que possuem muitas ruas estreitas. No bairro do Recife, os únicos trechos disponíveis para circulação são os Cais do Apolo (pista oeste) e da Alfângeda, as Avenidas Alfredo Lisboa e Militar e as pontes do Limoeiro e Giratória, que dão acesso à ilha.

Já no bairro de Santo Antônio a restrição é máxima. Nenhum veículo de grande porte poderá trafegar, nem mesmo em grandes vias como Rua do Sol e Avenidas Rio Branco e Guararapes. Em São José, os únicos caminhos disponíveis são a Avenida Sul e a Rua Imperial. As Avenidas João Lira e Norte estão livres apenas para acesso dos caminhões aos bairros da Boa Vista e Santo Amaro.

A CTTU informou que já alertou os comerciantes sobre a nova medida com antecedência para evitar mal entendidos. Placas de sinalização foram instaladas nas localidades para elucidar os motoristas. Além disso, a Companhia já disponibilizou arte educadores e agentes de trânsito, que, a partir desta sexta-feira (4), estarão nas principais vias dos três bairros para orientar os caminhoneiros sobre a nova regra.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias