EXPLORAÇÃO SEXUAL

CPI relaciona abuso infantil a grandes obras

Comissão da Câmara dos Deputados alerta para a prevenção nos polos estaduais em desenvolvimento

Betânia Santana
Betânia Santana
Publicado em 27/09/2012 às 22:45
Leitura:

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga a exploração sexual de crianças e adolescentes estão preocupados com as consequências negativas do desenvolvimento econômico. Dados preliminares coletados pelo colegiado mostram que regiões que receberam obras de grande porte registraram também um salto no número de casos de prostituição de menores.

“Em Rondônia, depois da viabilização de dois grandes empreendimentos, tivemos um salto de 25% na estatística sobre gravidez precoce e 400% no número de estupros, quando levamos em consideração a nova definição legal (em que não é necessário haver a conjunção carnal”, disse, ontem à tarde, a presidente da CPI, deputada Erika Kokay (PT-DF), durante audiência da comissão na Assembleia Legislativa.
A sessão foi realizada a pedido do deputado federal Paulo Rubem Santiago (PDT-PE). “Algumas regiões no Estado despertam preocupação, como o polo gesseiro, no Araripe. Hoje, o Litoral Sul, com as obras e empresas que se consolidam no entorno de Suape, e a Mata Norte, que vai sofrer uma transformação ao longo dos cinco anos, também vão precisar de ações para combater a exploração sexual de menores”, alertou o parlamentar.

Em funcionamento desde abril deste ano, a CPI já visitou quatro Estados, incluindo Pernambuco. E tem agendado encontro em quatro outras unidades da Federação. Como ponto de partida, a comissão analisa as informações e estatísticas consolidadas, em 2009, pela Rede de Combate ao Abuso de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Um dos dados apontam o Recife como a terceira capital na lista das cidades preferências para o turismo sexual, perdendo apenas para Rio de Janeiro e Fortaleza.

Leia mais na edição do JC desta sexta-feira (28)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias