RIO CAPIBARIBE

Rotas fluviais em um ano

Estações receberão passageiros até março de 2014. Anúncio foi feito na assinatura da ordem de serviço da dragagem

Amanda Tavares
Amanda Tavares
Publicado em 18/01/2013 às 7:23
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Estações receberão passageiros até março de 2014. Anúncio foi feito na assinatura da ordem de serviço da dragagem - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Até março de 2014, o Recife contará com mais uma opção de transporte público. De acordo com o que foi anunciado ontem, na assinatura da ordem de serviço de dragagem do Rio Capibaribe, em um ano e dois meses, serão inaugurados os corredores fluviais e as estações de passageiros que fazem parte do Programa Rios da Gente, orçado em R$ 289 milhões (com recursos dos governos estadual e federal). A solenidade ocorreu no Parque Santana, bairro de Casa Forte, Zona Norte.

O trabalho de dragagem terá duração de um ano e seis meses e será realizado em 17 quilômetros do Rio Capibaribe, das proximidades da BR-101, passando pelos bairros de Casa Forte, Poço da Panela, Torre, Derby e pelo Centro do Recife até a área vizinha ao Shopping Tacaruna (entre o Recife e Olinda). Esses serviços custarão R$ 101 milhões ao Estado.

O processo de licitação para construção das estações de embarque e desembarque de passageiros será iniciado em fevereiro. Já a construção está prevista para começar em junho. Cinco estações ficarão na rota Oeste e duas na rota Norte.

O transporte de passageiros será feito por doze barcos. A expectativa é de que sejam realizadas 156 viagens por dia e que 355 mil pessoas utilizem os barcos mensalmente.

"As ações anunciadas hoje (ontem) vão permitir melhorias em relação à mobilidade e ainda vão contribuir para preservação do meio ambiente, já que o lixo será levado para um aterro sanitário. Outro aspecto que tem que ser comemorado é a valorização do turismo e lazer, pois poderemos voltar a viver mais perto do rio", disse o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, que prometeu também mudanças para beneficiar moradores de palafitas. "Providenciaremos a retirada de mais de 800 famílias que vivem em torno do Capibaribe e garantiremos moradia para todas", afirmou.

"Existem algumas famílias que já estão cadastradas no programa habitacional da prefeitura, mas há outras que se instalaram recentemente. Nossa meta é apoiar a prefeitura para dar condições dignas de moradia a toda a população que vive em palafitas", prometeu o governador Eduardo Campos.

Enquanto milhares de pessoas criaram uma expectativa positiva em relação às novidades, barqueiros que fazem o transporte de passageiros entre os bairros da Torre, na Zona Oeste, e da Jaqueira, Zona Norte, estão preocupados com o futuro, já que o percurso feito por eles diariamente pode ser proibido para evitar choque entre embarcações.

"Espero ser beneficiado com esse projeto. Gostaria de contar com melhores condições de trabalho. Tomara que os barcos que passarão a circular por aqui não venham impedir o nosso trabalho. Até porque o transporte que será inaugurado deverá levar os passageiros da Zona Norte para o Centro da cidade. E as pessoas que hoje utilizam o nosso barco querem passar da Torre para a Jaqueira", comentou o barqueiro Zomildo Tomé, 61 anos, há 45 trabalhado no local.

"Minha profissão vem de berço. Meu avó ensinou ao meu pai, ele me ensinou e agora passei para o meu filho. Não é possível que, de repente vão destruir uma história que já se estende pela quarta geração", lamentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias