trânsito

Recife estuda restringir o uso do carro em determinados horários e avenidas

Apesar de rechaçar o termo rodízio, o prefeito da cidade, Geraldo Julio, e o secretário de mobilidade e controle urbano do Recife, João Braga, confirmam estudo para restringir quantidade de veículos nas ruas

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 10/04/2013 às 16:25
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Apesar de rechaçar o termo rodízio, o prefeito da cidade, Geraldo Julio, e o secretário de mobilidade e controle urbano do Recife, João Braga, confirmam estudo para restringir quantidade de veículos nas ruas - FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Depois de afirmar, na manhã desta quarta-feira (10), que o Recife não vai adotar o sistema de rodízio de carros, o prefeito da cidade, Geraldo Julio, confirmou, em entrevista à Rádio CBN, na tarde desta quarta-feira (10), que um estudo está sendo feito para restringir o uso do carro em determinados horários e em algumas avenidas do município. Os termos rodízio e restrição, aliás, têm se tornado alvo de polêmica. Tanto o prefeito quanto o secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga, fazem questão de evitar o termo rodízio, mas confirmam ser provável que os carros sejam limitados pelo número final da placa.

"Nunca foi cogitado rodízio. O que estamos fazendo é um estudo de restrições em alguns horários. Mas tudo isso vai ser feito em diálogo com a sociedade", assegurou Geraldo Julio.

O esquema rodízio/restrição funcionaria de segunda a sábado, das 6h30 às 8h30 e das 17h às 19h, em alguns corredores viários. Automóveis com placas que terminam em números pares circulariam em dias pares, mas ficariam proibidas de transitar em dias ímpares.

O prefeito reconheceu, entretanto, que existe um déficit de agentes, comprometendo a eficácia e a qualidade no ordenamento do fluxo nas ruas. "A fiscalização é insuficiente, mas estamos investindo para melhorar. Compramos 200 baterias para os semáforos da cidade e autorizamos a compra de talonários eletrônicos. Nós já adotamos muitas medidas nesses três meses que deram mais fluidez ao trânsito. Não teria como essa questão não ser o ponto de mais insatisfação da população", afirmou em tom de ironia durante a entrevista à Rádio JC/CBN", destacou.

Os dados oficiais apontam que foram recapeadas 1083 ruas, trocadas 300 placas de concreto e ampliada a fiscalização do trânsito. O prefeito reconheceu contudo que existe um déficit de agentes que compromete a eficácia e a qualidade no ordenamento do fluxo nas ruas. "A fiscalização é insuficiente, mas  estamos investindo para melhorar. Compramos 200 baterias para os semáforos da cidade e autorizamos a compra de talonários eletrônicos", destacou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias