assassinato

Coletiva no DHPP esclarece morte de PM

Familiares de acusados aguardam no departamento e afirmam que suspeitos são inocentes

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 29/03/2014 às 15:49
Familiares de acusados aguardam no departamento e afirmam que suspeitos são inocentes FOTO:
Leitura:

Uma coletiva acontece no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, para esclarecer a morte de um policial militar, assassinado na madrugada deste sábado (29) durante uma operação no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste. 

De acordo com o 12º batalhão da PM, vários moradores do Conjunto Habitacional Abençoada Por Deus acionaram a polícia para reclamar do barulho na área. Viaturas fizeram rondas no local, mas a princípio não encontraram nenhum problema. Entretanto, por volta das 0h30, policiais retornaram ao local e foram recebidos a tiros. 

Um deles acertou Romário Campos da Silva, 24 anos. O PM foi socorrido e levado ao Hospital da Restauração, mas não resistiu. Nesta manhã, a polícia fez buscas e conseguiu identificar sete suspeitos. Dentre eles, a filha de 16 anos de José Barbosa da Souza, que mora na Rua Cantora Clara Nunes, a 200 metros do conjunto habitacional. O pai afirma que a filha é inocente e passou a noite inteira em casa.

De acordo com ele, a polícia esteve em sua residência por volta das 8h e fez vistorias à procura de armas e drogas, mas nada encontrou. Entretanto, apreendeu a adolescente. Situação parecida passou Selma Mesquita. Moradora do residencial, ela teve um casal de filhos, de 19 e 18 anos, presos. Segundo ela, seus filhos são inocentes e também estavam em casa no momento da troca de tiros.

HOMICÍDIO - Outro caso de assassinato de agentes da Polícia Militar foi registrado na última sexta-feira (28). O sargento reformado da PM Aelson Pessoa Lins, 52 anos foi morto a tiros no bairro dos Torrões, Zona Oeste do Recife. A vitíma estava no bar de sua propriedade,  próximo ao terminal de ônibus do Barro, no momento em que dois homens chegaram ao local em uma moto e efetuaram seis disparos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias