Festividade

38ª Festa da Vitória Régia teve clima familiar e de quermesse

Evento foi mais enxuto, retornando às suas origens

JC Online
JC Online
Publicado em 06/11/2016 às 19:48
Bobby Fabisak/JC Imagem
Evento foi mais enxuto, retornando às suas origens - FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Em sua 38ª edição, a Festa da Vitória Régia, um dos eventos mais tradicionais da capital pernambucana, foi marcada por clima que remetia às suas origens. Com perfil mais enxuto, voltado para as atividades em família, reuniu muitas famílias, que enfrentaram o domingo (6) chuvoso para prestigiar a celebração. 

Com expectativa inicial de 60 mil visitantes, o evento contabilizou cerca de 40 mil, segundo um de seus coordenadores, Francisco Xavier. Ele afirmou que devido às reclamações por conta do barulho, ano passado, nesta edição a poluição sonora foi reduzida, com todos os shows acabando até as 23h.

“Além disso, optamos por não ter shows até as 18h por conta do Enem, já que há um colégio perto. Outro ponto positivo foi voltar a unir a comunidade de Casa Forte”, explicou Francisco.

Para o contador Luciano Bezerra, que foi à festa pela primeira vez com a mulher, Vera, e os três filhos, o evento cumpriu com as expectativas, mas pode melhorar em alguns aspectos.

“Gostei bastante. É um clima muito familiar, com atrações para as crianças. Só acho que em termos de mobilidade poderia melhorar um pouco. Os brinquedos ocupam grande parte da rua e isso dificulta um pouco. Além disso, é importante cercar a praça para que não haja depredação, mas, como estamos falando da festa da Vitória Régia, seria bom que as pessoas pudessem ver a planta”, pontua.

AVALIAÇÃO

Como faz todos os anos, a organização se reunirá daqui a 15 dias para avaliar os pontos positivos e negativos desta edição. De antemão, Francisco Xavier já adianta que o perfil mais familiar, com limitação dos horários dos shows, deve ser mantido.

Últimas notícias