Paulista

Funcionário de prefeitura acusado de vender imóveis ilegalmente

Mais de cem pessoas dizem ter comprado do servidor casas no residencial Dom Hélder Câmara

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
Publicado em 04/10/2011 às 9:24
Leitura:

A venda ilegal de casas de um conjunto habitacional em Paulista, no Grande Recife, terminou, nesta segunda-feira (3), na delegacia. Mais de cem pessoas dizem ter comprado imóveis no residencial Dom Hélder Câmara, que foram doados pela prefeitura a moradores de comunidades pobres, e acusam um funcionário da Secretaria de Planejamento da cidade pela negociação.

Revoltados por não terem recebido as casas, cerca de 50 compradores estiveram na manhã desta segunda (3) no local de trabalho de Clayton José Bezerra da Silva, no Centro de Paulista, e na casa dele, em Rio Doce, Olinda. A Polícia Militar foi chamada para preservar a integridade física do funcionário, mas diante das acusações de estelionato, conduziram o servidor municipal para a Delegacia do Janga, que vai investigar o caso.

Márcia Saraiva, 27 anos, afirmou ter comprado um imóvel no conjunto habitacional há dois anos. "Ele disse que as pessoas que receberam as casas preferiram a indenização e que essas casas estariam sobrando, por isso estava vendendo."

Segundo Márcia, Clayton utilizava papéis timbrados da prefeitura. "Minha mãe e o meu cunhado também compraram. Eu comprei a minha por R$ 1 mil, mas teve gente que comprou por até R$ 5 mil."

O delegado Marcos Antônio da Silva afirmou que um inquérito foi aberto para investigar o caso. "A acusação é de estelionato, mas não houve flagrante. Vamos convocar as vítimas e o acusado para prestar depoimento. Temos 30 dias para concluir o inquérito", explicou.

Em nota, a Prefeitura do Paulista afirmou que ao receber as queixas contra o servidor, na última segunda-feira (3), iniciou processo de investigação para apurar a suposta venda irregular de imóveis. "Caso as denúncias sejam comprovadas o referido servidor público será demitido do cargo", informou. Clayton não quis falar com a reportagem.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias