violência

Três pessoas da mesma família são assassinadas a tiros

Crime aconteceu entre Abreu e Lima e Aldeia. Bandidos invadiram a casa e mataram casal e o filho da mulher, de 12 anos. Uma quarta pessoa ficou ferida

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 04/10/2011 às 0:36
Foto: Hélia Scheppa/ JC Imagem
Crime aconteceu entre Abreu e Lima e Aldeia. Bandidos invadiram a casa e mataram casal e o filho da mulher, de 12 anos. Uma quarta pessoa ficou ferida - FOTO: Foto: Hélia Scheppa/ JC Imagem
Leitura:

Três pessoas da mesma família, incluindo uma criança de 12 anos, foram assassinadas a tiros na noite da segunda (3), no Sítio Pitanga 2, entre Abreu e Lima e Aldeia, Região Metropolitana do Recife. Uma quarta pessoa que também estava no local do crime, identificada como Fabrício José da Silva, 19, amigo das vítimas, ficou ferida no tórax e foi levada para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, Grande Recife, onde permanece internada em estado estável.

O caso foi registrado pela Força Tarefa do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). De acordo com as primeiras investigações, o crime pode ter ligação com o tráfico de drogas na região. Em reserva, alguns policiais afirmaram que o crime foi cometido por pessoas que conhecem bem a região, já que os assassinos - encapuzados, embora a quantidade exata ainda seja desconhecida - chegaram por trás da casa, onde há um intenso matagal.

O primeiro a ser assassinado foi Geraldo Henrique da Mata, 32 anos, que morreu no quintal. Em seguida, os bandidos entraram na casa e assassinaram a companheira dele, Lucineide Araújo dos Santos, 37, e o filho dela, Antônio Carlos Araújo da Silva, 12. Um adolescente de 16 anos, também filho de Lucineide e irmão de Antônio Carlos, estava na residência, mas conseguiu correr para o matagal e sobreviveu. Em estado de choque, apenas chorava e não dizia quantas pessoas tinham invadido a casa.

O ex-marido de Lucineide e pai do menino assassinado esteve no local do crime. Segundo contou, separou-se da família há pouco mais de um ano e meio e os colocou em uma casa em Aldeia, mas, de forma repentina, Lucineide passou a morar com Geraldo e levou os dois filhos do casal junto. "Desde então ele não deixava nem mais eu ver meus filhos", finalizou. O caso será investigado pelo DHPP.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias