violência

Policial assassinado estava prestes a se aposentar

Ednaldo Gonçalves da Silva, 48 anos, era policial civil há 22 anos

Aline Souza
Aline Souza
Publicado em 07/03/2012 às 11:50
Foto: Leonardo Teixeira/Especial para o JC
Ednaldo Gonçalves da Silva, 48 anos, era policial civil há 22 anos - FOTO: Foto: Leonardo Teixeira/Especial para o JC
Leitura:

O policial civil Ednaldo Gonçalves da Silva, de 48 anos, assassinado em uma troca de tiros com ladrões, na última terça-feira (6), na Ponte Motocolombó, em Afogados, Zona Oeste do Recife, iria se aposentar em apenas dois anos. Familiares e amigos da vítima aguardavam a liberação do corpo na manhã desta quarta (7), no Instituto de Medicina Legal (IML), com muita tristeza e revolta.

"Tenho muito orgulho do meu pai. Ele sempre foi um homem que lutou muito pela família e pela educação dos filhos", disse uma das filhas do policial, Edivanice Gonçalves, 17 anos, estudante de odontologia.

Ednaldo morreu após ser baleado no tórax por uma arma calibre 38, em uma troca de tiros com bandidos que tentavam realizar um assalto. Ele chegou a ser socorrido no Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife, mas não resistiu aos ferimentos. Ednaldo era comissário há 22 anos. A vítima também atuava como pastor e estava construindo uma igreja na cidade do Sertão. A polícia já identificou o terceiro envolvido no crime, mas ainda não tem pistas sobre o acusado.

O corpo do policial foi liberado esta manhã do IML e foi encaminhado para Cachoeirinha, no Agreste, onde será velado. O enterro será na quinta-feira (8), em Serra Talhada, no Sertão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias