Violência

Cliente reage e fere bandido em tentativa de assalto em Boa Viagem

Policial militar, que estava à paisana no estabelecimento, atirou e acertou um dos suspeitos no peito

JC Online
JC Online
Publicado em 09/09/2016 às 20:42
Foto: Ricardo B. Labastier/ JC Imagem
Policial militar, que estava à paisana no estabelecimento, atirou e acertou um dos suspeitos no peito - FOTO: Foto: Ricardo B. Labastier/ JC Imagem
Leitura:

Um policial militar à paisana reagiu a uma tentativa de assalto a um restaurante no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e feriu um suspeito de participar da investida na noite desta sexta-feira (19). O crime ocorreu no Bar da Azinha, situado na Rua Capitão Zuzinha, e, segundo a Polícia Militar (PM), foi cometido por quatro bandidos.

Policiais do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) do 19º Batalhão da Polícia Militar (BPM) informaram que os quatro suspeitos chegaram no estabelecimento em um veículo Siena de placa OYY-6741 e anunciaram o assalto. Um PM que estava no bar então sacou uma arma e atirou em um dos bandidos, Williams Monteiro de Souza, de 18 anos, que foi atingido no peito.

Um outro suspeito, Roberto de França Damásio, 26, foi preso, enquanto os outros dois assaltantes fugiram do local deixando o veículo para trás. Com os bandidos capturados foram apreendidos um revólver calibre 38 e seis munições.

Ainda segundo a PM, Williams foi encaminhado para o Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby. O policial militar que baleou o suspeito preferiu não se identificar à imprensa, mas se apresentou na Delegacia de Boa Viagem para prestar esclarecimentos sobre o caso.

VIOLÊNCIA

A reportagem do JC esteve no Bar da Azinha por volta das 20h30, mas o estabelecimento já estava fechado e nenhum cliente que presenciou a tentativa de assalto se encontrava no local. Uma moradora de uma rua próxima, entretanto, afirmou que investidas criminosas são frequentes naquela região.

"Aqui é muito perigoso, é assalto o tempo todo. Eles roubam carros, pedestres, todo mundo. A sensação de insegurança é muito grande, nós precisamos de mais policiamento por aqui. Vemos um ou outro policial, uma ou outra viatura, mas isso não é suficiente", afirmou a mulher, que preferiu se identificar apenas como Cláudia.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias