POLÍCIA

Vereador de Santa Maria do Cambucá foi morto por motivação política

A Polícia Civil apresentou os detalhes da investigação sobre a morte do político nesta quarta-feira (16)

JC Online
JC Online
Publicado em 16/11/2016 às 13:55
Foto: Reprodução/ Blog do Agreste
A Polícia Civil apresentou os detalhes da investigação sobre a morte do político nesta quarta-feira (16) - FOTO: Foto: Reprodução/ Blog do Agreste
Leitura:

A conclusão do inquérito da Polícia Civil que investiga o homicídio do presidente da Câmara dos Vereadores do município de Santa Maria do Cambucá, no Agreste do Estado, aponta que o crime teve motivação política, e não passional, como se acreditava. Jorge José Lima, 43, foi alvo de diversos disparos de arma de fogo, em maio, na frente de casa e veio a óbito após passar quase dois meses internado no Hospital da Restauração (HR).

A Polícia Civil apresentou a conclusão da investigação nesta quarta-feira (16). Segundo a polícia, foram presos pelo crime Adriano Manoel da Silva, Ivson Pereira Ferreira Barbosa e Alexandre Raimundo da Silva. Ivson é apontado como o mentor.

Duas mulheres, mãe e mulher do Adriano, também foram presas por tráfico de drogas. Ambas foram presas em flagrante ao tentarem entrar com o material no Presídio de Santa Cruz do Capibaribe, onde está preso Adriano.

Internamento

Jorge passou por três cirurgias desde que foi internado no Hospital da Restauração, mas seu estado era considerado grave desde o momento desde o início. O óbito do vereador foi confirmado às 16h45 pela assessoria do HR, após uma parada cardiorrespiratória.

Outras duas pessoas que tiveram mandados de prisão decretados foram assassinadas durante as investigações: Ademir Manuel da Silva e Cyro Anderson Gonçalves. Inicialmente, a polícia chegou a supor que a motivação do delito seria passional. Os demais presos foram encaminhados para os presídios de Buíque e Pesqueira.


Últimas notícias