VIOLÊNCIA

Moradores do Pina denunciam violência e mais uma morte por ação policial

Houve protesto para denunciar morte de homem de 30 anos alvejado por tiro

JC Online
JC Online
Publicado em 17/06/2017 às 22:06
Luis Pessoa/JC Imagem
Houve protesto para denunciar morte de homem de 30 anos alvejado por tiro - FOTO: Luis Pessoa/JC Imagem
Leitura:

Moradores da Comunidade do Bonde, no bairro do Pina, Zona Sul do Recife, interditaram os dois sentidos da Avenida Domingos Ferreira, por volta das 19 horas deste sábado (17), na altura do Clinical Center, para protestar contra mais uma morte na comunidade, segundo eles, provocada por policiais militares.

Na noite da última quinta-feira (15), o estudante Esdras Henrique, de 19 anos, foi morto a tiros durante uma ação policial. Segundo moradores, por volta das 11 horas deste sábado, duas viaturas da Polícia Militar entraram na comunidade e, ao avistarem um homem identificado como ex-presidiário, começaram a persegui-lo e a atirar.

Violência

O vendedor de água mineral Ramon Gonçalves, de 30 anos, que estava na frente da casa onde mora, na companhia da esposa e irmãos e, ao se levantar para tentar escapar dos tiros, foi alvejado por um disparo, segundo os moradores, feito pelos policiais. O tiro atingiu Ramon na altura do peito. Ele não tinha nada a ver com o homem que estava sendo perseguido. Ramon ainda foi levado na própria viatura da Polícia para o Hospital da Restauração mas, segundo familiares, já teria dado entrada sem vida na Emergência.  O corpo de Ramon Gonçalves vai ser enterra às 15h desta segunda-feira (19) no Parque das Flores, no bairro de Tejipió.

Resposta da PM

Em nota, a Polícia Militar informou que equipes do 19º BPM entraram na comunidade, no último sábado (17), e foi recebida a tiros. Na troca de tiros, uma pessoa ficou baleada e foi socorrida para o Hospital da Restauração, mas não resistiu. Ainda de acordo com a PM, o suspeito envolvido no tiroteio já foi preso por tráfico de entorpecentes e estava na liberdade condicional. A ocorrência ficou registrada no DHPP. Segundo a Polícia Civil, o caso será investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias