Campanha do Desarmamento

PF recebe mais de 400 armas durante campanha do desarmamento em 2017

Desde 2011, já são mais de 10 mil armas coletadas durante a campanha. Indenizações variam entre R$ 150 e R$ 450 dependendo do modelo do objeto

JC Online
JC Online
Publicado em 11/09/2017 às 6:00
Foto: Divulgação/PF
Desde 2011, já são mais de 10 mil armas coletadas durante a campanha. Indenizações variam entre R$ 150 e R$ 450 dependendo do modelo do objeto - FOTO: Foto: Divulgação/PF
Leitura:

A Polícia Federal comemora os resultados da campanha do desarmamento em 2017 em Pernambuco. De acordo com o órgão, 414 armas já foram coletadas neste ano e enviadas ao Exército para serem destruídas. A PF reforça que o anonimato é garantido para quem entregar voluntariamente armas e munições e explica que as indenizações pela entrega variam entre R$ 150 e R$ 450. Desde 2011, a campanha já coletou mais de 10 mil armas.

O ranking dos postos onde há o maior número de entrega de armas e munições no Estado mostra que a sede da Polícia Federal no Recife fica no 1º lugar com 4.995 armas recebidas desde 2011. Em segundo lugar, o posto itinerante da Polícia Militar de Pernambuco já recebeu 1.584 equipamentos no mesmo período. O destaque é para o 14º Batalhão de Polícia Militar em Serra Talhada que, com 901 armas recolhidas, fica em terceiro lugar no levantamento.

Ainda de acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Federal, as armas mais entregues em Pernambuco são revólveres, espingardas e pistolas. Já o calibre .38 é o mais popular entre as pessoas que decidem entregar munições. Desde 2011, já foram recolhidas 18.120 munições de diversos calibres.

Entrega

A Polícia Federal alerta que quem desejar entregar uma arma deve realizar um cadastro prévio no site www.pf.gov.br e preencher um guia de trânsito para poder conduzir o objeto até um posto de coleta. O pagamento da indenização, segundo a PF, é realizado em até 48h através de contas do Banco do Brasil.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias