PAULISTA

DNA confirma suspeita de que padrasto estuprou e engravidou enteada

Apesar de o exame de DNA comprovar a paternidade, o padrasto nega os abusos. O caso aconteceu em Paulista, Região Metropolitana

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 20/03/2018 às 12:44
Foto: Ezequiel Quirino/TV Jornal
Apesar de o exame de DNA comprovar a paternidade, o padrasto nega os abusos. O caso aconteceu em Paulista, Região Metropolitana - FOTO: Foto: Ezequiel Quirino/TV Jornal
Leitura:

Um homem de 41 anos, que não teve sua identidade revelada, foi preso suspeito de estuprar e engravidar a enteada de apenas 14 anos, em Paulista, Região Metropolitana do Recife. Segundo a Polícia Civil, os abusos aconteciam desde que a menina tinha 12 anos. Um exame de DNA foi realizado e comprovou que o homem é mesmo o pai da criança.

As investigações começaram após a polícia receber duas denúncias de que a adolescente estaria sendo abusada sexualmente pelo padrasto. Segundo o delegado Darlson Macedo, gestor do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), a menina relatou ter sido ameaçada pelo homem e disse que ele a obrigou a mentir para a mãe dizendo que estava grávida de um namorado adolescente.

Apesar de o exame de DNA comprovar que ele é o pai biológico da criança, o padrasto continua negando os abusos e dizendo que a garota engravidou de um suposto namorado. Os abusos teriam começado quando a menina tinha apenas 12 anos e aos 13 ela teve o bebê.

O homem teve a prisão preventiva decretada na última quarta-feira (14)  e foi encaminhado ao Cotel. Segundo o delegado, o padrasto pode pegar pena de 8 à 15 anos devido a gravidade do crime. “Ficou provada toda a torpeza, toda a monstruosidade desse padrasto que deveria proteger a criança, mas estuprava. Essa criança foi mãe, uma vítima desse crime bárbaro”, comentou.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias