ABUSO SEXUAL

Imagens registram pastor suspeito de estupro com crianças em piscina

"Eu não tomava banho com elas, apenas quando os pais estavam por perto", diz o pastor que nega o crime

Bianca Sousa
Bianca Sousa
Publicado em 28/03/2018 às 14:12
Foto: Reprodução/TV Jornal
"Eu não tomava banho com elas, apenas quando os pais estavam por perto", diz o pastor que nega o crime - FOTO: Foto: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Imagens divulgadas por denunciantes, estão sendo usadas contra o pastor evangélico, suspeito de estuprar ao menos sete meninas, no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife. As mães das crianças envolvidas no caso, divulgaram à TV Jornal, fotos que comprovam que o pastor ficava na piscina com as vítimas, onde possivelmente era praticado os abusos. 

O evangélico, de 52 anos, preferiu não ser identificado, mas rebateu as denúncias contra ele. Em entrevista à TV Jornal, o homem nega o crime, e diz estar sendo vítima de uma falsa acusação. "Isso não é verdade. Eu nunca fiquei só com uma criança dessas. Sempre respeitei todas crianças", declara.

O suspeito, que mora no Ibura há 25 anos, afirma nunca ter se envolvido com crimes. Ele ainda conta que, depois de ser acusado como estuprador, precisou deixar a localidade, com medo de sofrer represálias da vizinhança. "Ela me ameaçou, gritando na rua, gritando meu nome, então eu fui orientado pela delegacia para que eu não ficasse até que tudo isso fosse apurado", diz. 

O rapaz conta que a mãe que o denunciou, teria divulgado fotos dele como estuprador em uma escola do bairro e em uma rede social. Contra as denúncias, o pastor diz que entrará com um processo na justiça contra as pessoas que estão o acusando do crime.

Mesmo com fotos que mostram o pastor dentro da piscina com as meninas, ele afirma nunca ter ficado à sós com elas. "A piscina existe, mas só era usada quando a família estava junto, jamais com as crianças sozinhas. Eu não tomava banho com elas, apenas quando os pais estavam por perto".

Relembre o caso

Um pastor evangélico foi denunciado, por três mães, com a suspeita de estuprar sete meninas, entre seis e dez anos de idade. De acordo com uma das mães, o pastor levava as crianças para tomar banho de piscina na residência dele e abusava delas dentro da água.

Outra mãe também relatou que a filha mais velha dela viu o homem violentando uma das vítimas duas vezes.

A suspeita foi levantada após uma das meninas contar para a mãe o abuso que havia sofrido. A queixa foi registrada no Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA).

Após a primeira denúncia, outras crianças também admitiram que tinham sido vítimas do pastor, e sofriam ameaças caso revelassem para alguém. No boletim de ocorrência foi mencionado um notebook que, segundo o tio de uma das vítimas, teria vídeos pornográficos de adolescentes.

Nota da Polícia Civil

A Polícia Civil de Pernambuco investiga casos de violência sexual contra crianças praticada por um pastor da Igreja Pentecostal, no bairro do Ibura. Até o momento, foram formalizadas sete ocorrências contra o pastor, todas de crianças menores de 12 anos de idade e que frequentavam a instituição religiosa. As denúncias foram feitas pelos familiares das vítimas no Departamento de Polícia da Criança e Adolescente (DPCA). O delegado Ademir Soares está a frente das investigações. Exames periciais foram solicitados e a Polícia Civil irá se pronunciar somente na conclusão do inquérito. Não houve prisão até o momento.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias