Mão implantada

Após cirurgia, médicos reimplantam mão decepada de zelador no Recife

A mão esquerda do rapaz foi reimplantada após seis horas de cirurgia. Segundo médicos, os próximos dias serão uma etapa importante na recuperação do zelador

Jennifer Thalis
Jennifer Thalis
Publicado em 27/04/2018 às 19:16
Foto: Guga Matos/JC Imagem
A mão esquerda do rapaz foi reimplantada após seis horas de cirurgia. Segundo médicos, os próximos dias serão uma etapa importante na recuperação do zelador - FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Após 6 horas de cirurgia, os médicos do SOS Mãos conseguiram reimplantar a mão de um zelador que havia sido decepada por dois rapazes com um facão, durante tentativa de assalto no bairro do Porto da Madeira, Zona Norte do Recife. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira (27), quando Valdeci Pereira da Cruz, de 53 anos, se dirigia para o trabalho, num condomínio no mesmo bairro.

De acordo com a assessoria do SOS Mão, onde Valdeci foi operado, a mão esquerda do homem foi reimplantada após uma cirurgia de 6h que contou com quatro cirurgiões. Ele encontra-se sob observação e seu quadro é estável. Não há previsão de alta.

Segundo a Polícia Civil, a agressão sofrida por Valdeci já foi registrado pela Força Tarefa da Capital e encaminhado à 9ªDPH, onde as investigações sobre o caso ficará a cargo do delegado Ricardo Silveira.

Dias cruciais 

Segundo a médica Ana Lécia Lima, ortopedista e cirurgia de mão que participou do procedimento, os primeiros dias após a cirurgia determinarão a condição do rapaz. "A cirurgia foi bastante delicada, com várias etapas. O mais importante era saber qual a situação dos vasos, tendões e nervos do membro amputado", disse. Ainda de acordo com a médica, até as próximas 48h após o procedimento ainda há possibilidade de o membro apresentar infecção ou trombose, o que pode prejudicar a recuperação. 

De acordo com o hospital, o ideal é que uma cirurgia de reimplante seja realizada até seis horas após a perda do membro. No caso do zelador, foram mais de sete horas. Mas um ponto importante para a realização do reimplante foi a condição na qual a mão chegou até o centro médico. O síndico do prédio onde Valdeci trabalha colocou o membro num saco com gelo – procedimento correto e primordial para esses casos.

Ainda segundo a médica Ana Lécia, a recuperação do rapaz deve ser longa e com sessões de fisioterapia pelos próximos seis meses. "Ter uma mão igual ao que era antes é muito difícil, quase impossível. Voltar a escrever ou fazer atividades de destreza fica sim comprometido, mas há pessoas que conseguem", afirmou a médica. 

Durante o pós-operatório, principalmente na primeira semana, a equipe médica do SOS Mão fará uma vigília para avaliar a situação da mão do paciente.

Entenda o caso

O zelador Valdeci Pereira da Cruz, de 53 anos, seguia para o trabalho de bicicleta quando, por volta das 4h, foi abordado por dois assaltantes na Avenida Cidade de Monteiro, próximo à comunidade Miguel Arraes.

No momento do assalto, a vítima não quis entregar a bicicleta e um dos homens, que portava um facão, decepou a mão de Valdecir. Após o assalto, o zelador correu em direção ao condomínio onde trabalha para pedir ajuda. O porteiro, que estava trabalhando no momento, viu a vítima caída no chão e correu para ajudar.

Segundo o síndico do condomínio, Thyago Amorim, a área onde ocorreu o assalto é muito perigosa. “Eu já havia pedido para que o Valdecir não viesse ao trabalho nesse horário da madrugada, já que ele pega às sete horas da manhã”, afirmou. A bicicleta da vítima não foi levada e os assaltantes fugiram.

Após perceber a gravidade do ocorrido, Thyago e o porteiro foram procurar a mão da vítima, que foi encontrada em meio ao mato, próximo à comunidade. A Polícia Militar foi acionada, juntamente com o Samu. Valdecir foi socorrido pelos agentes da Polícia e levado ao Hospital Getúlio Vargas, no Cordeiro.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias