JOGO BALEIA AZUL

Polícia Civil investiga possível caso de Baleia Azul no Agreste de PE

A irmã do rapaz confirmou à polícia que ele estava participando dos desafios impostos pelo jogo

JC Online
JC Online
Publicado em 30/07/2018 às 17:56
Foto: Arquivo/JC Imagem
A irmã do rapaz confirmou à polícia que ele estava participando dos desafios impostos pelo jogo - FOTO: Foto: Arquivo/JC Imagem
Leitura:

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar uma morte, supostamente causada pelo jogo “Baleia Azul”. Desta vez o caso aconteceu no município de Bom Conselho, no Agreste de Pernambuco. De todas as hipóteses que possam ter motivado a morte do garoto, de 20 anos, a do jogo é a que mais se fundamenta, já que a irmã do rapaz afirmou que ele participava dos desafios impostos.

De acordo com a equipe de investigação, chefiada pelo delegado Eric Costa, o jovem, identificado como Reginaldo da Silva Feitosa, foi encontrado enforcado, na manhã do último sábado (28), no distrito de Lagoa de São José. 

“Há uma grande probabilidade de que ele tenha cumprido a ordem do jogo Baleia Azul, que leva o participante a tirar a vida”, lamenta um agente da Delegacia de Polícia Civil de Bom Conselho,  que participa das investigações.

Em depoimentos à polícia, a família conta que nos últimos dias o garoto apresentava um comportamento diferente do habitual. A namorada do jovem relatou que ultimamente o jovem publicava, na rede social, mensagens que falavam sobre suicídio.

O jogo

Desde o ano passado, quando surgiram várias vítimas deste jogo, incluindo em Pernambuco, não houve a divulgação de mais nenhum caso deste no Estado. 

O jogo, que teria surgido na Rússia em 2015, consiste em uma série de 50 desafios diários, enviados à vítima por meio de um aplicativo de mensagens chamado "curador". As tarefas, que podem estimular a automutilação e levar a comportamentos suicidas, são sempre repassadas durante a madrugada. O último desafio é tirar a própria vida.

Últimas notícias