Vítima não reagiu

Policial é morto com tiro na cabeça após ser assaltado em Goiana

O soldado, que teria cerca de 40 anos, estava de capacete quando um dos suspeitos disparou contra a cabeça dele

Jennifer Thalis
Jennifer Thalis
Publicado em 15/08/2018 às 19:41
Foto: Google Street View
O soldado, que teria cerca de 40 anos, estava de capacete quando um dos suspeitos disparou contra a cabeça dele - FOTO: Foto: Google Street View
Leitura:

Um policial militar foi morto com um tiro na cabeça após ser assaltado por dois suspeitos no Km-24 da BR 101, em Goiana, Região Metropolitana do Recife, nesta quarta-feira (15). Os assassinos levaram a motocicleta e a arma do agente.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o soldado Deyson Helly de Carvalho Jucá, lotado no 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), estava de capacete quando um dos suspeitos disparou contra a cabeça dele. A bala atravessou o capacete e atingiu o policial, que morreu no local. O crime aconteceu por volta das 17h. Os assassinos levaram a motocicleta e a arma da vítima, que estava em deslocamento para o Recife para trabalhar.

O crime

Ainda segundo a PRF, uma testemunha, que não quis se identificar, afirmou que estava dirigindo pela Br 101, sentido Paraíba, quando avistou a cena que acontecia na pista contrária. Dois suspeitos, também de capacete, abordaram o Deyvson e levaram os documentos e a moto dele. Antes de saírem, efetuaram o disparo letal.

Ainda não há informações sobre os suspeitos do crime. Equipes do 26º BPM e da 3ª CIPM realizam buscas incansáveis para localizar e prender os responsáveis pelo crime

Nota da Polícia Militar

A Polícia Militar lamenta informar que o soldado Deyson Helly de Carvalho Jucá, lotado no 19º BPM, foi vítima de um possível latrocínio por volta das 17h desta quarta-feira (15/08), na BR-101, em local próximo ao viaduto que dá acesso à praia de Ponta de Pedras, em Goiana, segundo a PRF, primeira a chegar ao local. Os assassinos levaram a motocicleta e a arma da vítima, que estava em deslocamento para o Recife para trabalhar.

Desde a descoberta do crime, equipes do 26º BPM e da 3ª CIPM realizam buscas incansáveis para localizar e prender os responsáveis pelo crime. As investigações para definir a autoria e a motivação do homicídio ficarão a cargo da Polícia Civil, através do seu Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Jucá tinha 26 anos e estava na Polícia Militar há apenas cinco meses. Casado há um mês, ainda não tinha filhos. O local e o horário do sepultamento serão definidos A Polícia Militar externa suas mais profundas condolências aos parentes e aos amigos do soldado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias