INVESTIGAÇÃO

Homem é preso suspeito de assaltar postos de combustíveis no Recife

Um dos estabelecimentos foi alvo de ação criminosa em dois dias seguidos

Fillipe Vilar
Fillipe Vilar
Publicado em 07/12/2018 às 13:41
Foto: Reprodução de vídeo / PCPE
Um dos estabelecimentos foi alvo de ação criminosa em dois dias seguidos - FOTO: Foto: Reprodução de vídeo / PCPE
Leitura:

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta sexta-feira (7), detalhes sobre a investigação que levou à prisão de João Carlos da Silva Xavier, 26 anos. Ele é suspeito de assaltar o mesmo posto de combustíveis na Avenida Dr. José Rufino, bairro do Barro, Zona Oeste do Recife. Segundo a polícia, os crimes ocorreram nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro. O suspeito foi preso na última terça-feira (4).

Câmeras de segurança registraram as ações criminosas. Nas imagens, é possível ver o assaltante chegando de motocicleta ao estabelecimento. Nos dois assaltos, o modo de ação, que dura poucos segundos, é similar. No dia 30, o assaltante não chega a descer do veículo. Ele, de capacete, conversa com o frentista e pega o dinheiro que está no bolso dele. Na ocorrência, foram roubados R$ 100.

Na segunda ação, o homem chega a descer da moto e encosta um objeto nas costas do frentista, como se fosse uma arma. O funcionário do posto entrega R$ 200 ao assaltante e entra no estabelecimento, enquanto o assaltante sobe na moto e vai embora.

De acordo com a delegada Silvana Carla, titular da Delegacia de Jardim São Paulo, responsável pelo caso, além dos assaltos no Barro, João Carlos também teria cometido outros dois assaltos a outros postos de combustíveis. “Ele confessou que foi o autor de um assalto a posto na Imbiribeira e outro na Caxangá”, explicou a delegada. O suspeito também confessou à polícia que teria assaltado pelo menos um transeunte, no Barro.

Investigações

A polícia chegou a João Carlos através das análises das imagens. Os investigadores rastrearam a motocicleta usada nos crimes através da placa. O veículo pertence ao pai do suspeito preso. “A estatura dele também foi importante para a identificação, além de uma tatuagem que ele tem no braço”, afirmou Carla. O suspeito tem 1,90 m de altura e possui no braço direito o desenho de uma rosa com nome da mãe.

As vítimas afirmaram aos policiais que o criminoso estava armado no momento dos assaltos, mas nenhuma arma foi encontrada com o suspeito. “Os frentistas disseram que ele fez menção de estar armado, mas como as ações duravam poucos segundos, nenhum deles teve certeza”, explicou a delegada.

João Carlos, que é réu primário, teve a prisão preventiva decretada e foi encaminhado para o Centro de Observação Criminológica e Triagem de Abreu e Lima (Cotel). “É importante que outras possíveis vítimas que reconheçam o suspeito compareçam à delegacia para prestar queixa, para que possamos robustecer o processo contra ele”, disse a investigadora.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias