HOMICÍDIO

Polícia detalha prisão de trio suspeito de matar homem a tiros no Cabo

Crime ocorreu na última terça-feira (8) e teria relação com o tráfico de drogas na localidade

JC Online
JC Online
Publicado em 11/01/2019 às 13:54
Analise
Foto: Reprodução de vídeo/Divulgação/Polícia Civil
Crime ocorreu na última terça-feira (8) e teria relação com o tráfico de drogas na localidade - FOTO: Foto: Reprodução de vídeo/Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

Na manhã desta sexta-feira (11), a Polícia Civil apresentou detalhes sobre a prisão de três homens, suspeitos de terem cometido um homicídio ocorrido na terça-feira (8), no Cabo de Santo Agostinho, Grande Recife. As prisões foram feitas na quarta-feira (9), em diligências comandadas pelo delegado Cláudio Neto, da Delegacia de Homicídios do Cabo de Santo Agostinho.

Por volta das 17h30 da terça, Givaldo Pereira da Silva estava em um campo de futebol no bairro São Francisco, onde morava, quando foi abordado por três homens. Ele correu e chegou em frente à própria residência, onde acabou alvejado por diversos disparos de arma de fogo. A polícia procurou por suspeitos para o crime e chegou em Lucas Leclapier da Silva, o “Chuck”, Leandro Cláudio do Nascimento, conhecido como “Léo Cabeção”, e Wesley José de Souza, o “Nego”.

“O crime teria sido motivado por um dinheiro que Givaldo pegou emprestado com o trio para comprar drogas. Como ele não trouxe os entorpecentes, acabou morto”, relatou o delegado Cláudio Neto. A vítima tinha passagem pelo sistema prisional pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e associação criminosa.

Segundo Neto, os três homens presos aterrorizavam o bairro cometendo diversos crimes. “No dia primeiro de janeiro, eles agrediram a vítima e um tio dela por conta de um botijão de gás que Givaldo havia furtado”, afirmou. O homem conhecido como “Chuck” também é egresso do sistema prisional pelos crimes de roubo, ameaça e dano. “Ele estava há menos de um mês na rua”, complementou Neto.

Outros homicídios

“Léo Cabeção” e “Nego”, apesar de não terem passagem pela polícia, foram classificados como “indivíduos perigosos” pela investigação. “Eles estão sendo investigados por outros homicídios ocorridos na região, além de estarem relacionados ao tráfico na localidade”, explicou o delegado.

Os três suspeitos foram presos em flagrante pelo homicídio de Givaldo. Eles foram encaminhados para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, onde ficam à disposição da Justiça.

Últimas notícias