Projeto Cloacina

Ministério de Moro vai monitorar esgoto de Paulista, no Grande Recife, para combater tráfico de drogas

O projeto vai atuar ainda nas outras quatro cidades do programa Em Frente, Brasil, Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e São José dos Pinhais (PR)

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 23/01/2020 às 10:12
Notícia
Foto:Isaac Amorim/MJSP
O projeto vai atuar ainda nas outras quatro cidades do programa Em Frente, Brasil, Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e São José dos Pinhais (PR) - FOTO: Foto:Isaac Amorim/MJSP
Leitura:

Para combater o tráfico de drogas no país, o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), comandado por Sergio Moro, vai monitorar redes de esgoto para identificar as rotas do comércio ilegal de entorpecentes. A iniciativa é ligada à Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e foi batizada de Cloacina. Inicialmente, o projeto atuará em Paulista, no Grande Recife, e nas outras quatro cidades do programa "Em Frente, Brasil", Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e São José dos Pinhais (PR). 

Com atuação integrada em forças-tarefas conta com a participação de policiais federais, rodoviários federais, militares, civis, bombeiros, guardas municipais, agentes penitenciários, agentes federais de execução penal, Força Nacional de Segurança Pública e demais agentes de segurança estaduais e municipais, o "Em Frente, Brasil" já apreendeu mais de 18 toneladas de drogas ilícitas nos municípios em que atua, de acordo com a pasta da Justiça.

Para tirar o Cloacina do papel, um acordo entre o MJSP está sendo fechado com a Universidade de Brasília (UnB) para a pesquisa, que deve custar R$ 10 milhões. A ideia do ministério é expandir o campo de coleta para até 18 municípios em quatro anos.

A parceria com a UnB acontece por causa de uma pesquisa feita pela universidade no Distrito Federal, que também durou quatro anos, e conseguiu identificar que a Ala Norte de Brasília tinha maior índice de consumo de drogas. O projeto também envolve um serviço de perícia com relação às drogas aprendidas pelas polícias durante os períodos de coleta de amostras como forma de identificar o perfil químico das drogas e eventualmente novas drogas sintéticas.

Não invasiva, a pesquisa vai gerar periodicamente dados comparativos, com informações específicas, como o monitoramento de substâncias metabolizadas pelo organismo, e também, de substâncias manipuladas em laboratórios que produzem as drogas e, consequentemente, descartam vestígios durante a limpeza dos utensílios utilizados.

Cidadania com projeto semelhante

O Ministério da Cidadania vai atuar de forma semelhante, mas com menor orçamento e abrangência. Com o objetivo de medir e mapear o uso de drogas como cocaína, crack, maconha e metanfetaminas entre dezembro de 2019 e dezembro de 2021 em seis cidades do país, Brasília, Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Carlos (SP), Campinas (SP) e Natal (RN).

O MJSP divide com a pasta da Cidadania as políticas sobre drogas do governo federal, mas o primeiro centra na questão do combate à oferta, e o segundo, no consumo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias