Estiagem

Eduardo Campos enviará carta a Dilma Rousseff

Governador de Pernambuco pedirá agilidade nas ações de combate à seca. Treze secretarias estaduais estão envolvidas no combate ao problema

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 25/10/2012 às 20:11
Foto: Aloisio Moreira/SEI
Governador de Pernambuco pedirá agilidade nas ações de combate à seca. Treze secretarias estaduais estão envolvidas no combate ao problema - FOTO: Foto: Aloisio Moreira/SEI
Leitura:

O governador Eduardo Campos enviará nesta sexta-feira (26) uma carta à presidente da República Dilma Rousseff para pedir agilidade nas ações emergenciais da Operação Seca. Ele tomou essa decisão depois de uma reunião realizada ontem, na sede do governo estadual, no Centro de Convenções, em Olinda.

No documento que será enviado à presidente, Eduardo Campos pede, entre outras coisas, a ampliação do Programa Bolsa-Estiagem, ajuda de custo repassada em cinco parcelas mensais de R$ 80.

“Precisamos levar o Bolsa Estiagem ao público do Garantia Safra, que está concluindo as cinco parcelas do benefício (de R$ 680) este mês. Assim, estaremos corrigindo falhas no cadastramento federal, que exclui alguns trabalhadores rurais de um ou outro programa”, declarou Eduardo.

O governador explica que é possível juntar os grupos. “O Chapéu de Palha Estiagem começa a pagar, já no próximo dia 30, todos os agricultores cadastrados nos dois programas (Garantia Safra e Bolsa Estiagem), a bolsa de R$ 280”.

Na carta, o governador cobra também um reforço na adutora do Oeste, que será responsável pelo abastecimento de grande parte do Sertão. Lembra, ainda, da questão do transporte do milho de Mato Grosso e do Programa de Aquisição de Alimentos para Ovinos e Caprinos. “As minhas cobranças são feitas como uma pessoa que se coloca no lugar de quem está enfrentando a mais dura estiagem dos últimos 50 anos”, defendeu o governador.

Treze secretarias estão envolvidas nas ações da Operação Seca, sob a coordenação da Secretaria de Agricultura, além de quatro ministérios e o Exército. Os investimentos estaduais somam mais de R$ 200 milhões e contemplam ações de abastecimento de comunidades rurais, com a contratação de 773 de carros-pipas, assistência aos rebanhos, infraestrutura hídrica, com investimentos em toda a rede de distribuição de água, na Compesa, além da construção de cisternas e açudes.

Já no eixo econômico, fazem parte do pacote de medidas emergenciais os programas Chapéu de Palha Estiagem, com 82.810 famílias beneficiadas, além do Seguro-Safra e o Bolsa Estiagem.

Participaram do encontro de hoje com Eduardo os secretários de Agricultura e Reforma Agrária, Ranílson Ramos, de Agricultura Familiar, Aldo Santos, de Recursos Hídricos e Energéticos, Almir Cirilo, da Casa Militar, Mário Cavalcanti, além do presidente da Compesa, Roberto Tavares, e do coronel Cássio Sinomar, da Coordenadoria de Defesa Civil.

PROVIDÊNCIAS - No próximo dia 1º, o Comitê Integrado de Convivência com o Semiárido se reunirá, em Serra Talhada, Sertão, com entidades que atuam no combate à seca. Na ocasião, os órgãos governamentais irão repassar informações sobre ações implementadas com o objetivo de amenizar os problemas provocados por causa da estiagem. Já as entidades devem cobrar providências como distribuição de alimentos para animais e regularização do abastecimento feito por carros-pipa.

Somente este ano, aproximadamente 1,2 milhão de pernambucanos foram afetados pela seca e 121 dos 184 municípios decretaram estado de emergência. O quadro se agrava por causa da morte do rebanho e da perda da lavoura. A previsão da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) é que até o fim do ano haja mais estiagem no Agreste e Sertão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias