Crime

Cachorros morrem envenenados no Sertão de Pernambuco

Mais de 30 cachorros foram encontrados mortos no fim de semana na cidade de Parnamirim

JC Online
JC Online
Publicado em 06/02/2017 às 10:30
Reprodução/Facebook
Mais de 30 cachorros foram encontrados mortos no fim de semana na cidade de Parnamirim - FOTO: Reprodução/Facebook
Leitura:

Cerca de 35 cachorros de rua foram encontrados mortos no fim de semana na cidade de Parnamirim, Sertão de Pernambuco. Segundo informações dos moradores, os animais teriam sido envenenados e foram encontrados espalhados em várias ruas do município. Matar cachorro ou qualquer outro animal é crime e está previsto no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, com risco de detenção de três meses a um ano e multa. 

De acordo com Goretti Queiroz, presidente do Movimento de Defesa Animal de Pernambuco, a obrigação de cuidar desses animais que vivem nas ruas em vida e após a morte é da prefeitura. "O Poder Executivo precisa cumprir sua função como tutora legal desses animais não-domesticados. Crimes desse porte precisam ser investigados pelo Ministério Público e punidos severamente", explica. A moradora Barbara Costa já se dispôs a fazer a denúncia no órgão. "Estive lá logo pela manhã e a promotora ainda não havia chegado. Voltarei a tarde para efetivar a denúncia", afirmou. 

A Prefeitura de Parnamirim informou que os animais de rua mortos foram recolhidos e incinerados, e que está em busca de recursos para construir um centro de zoonose, para resgatar, cuidar e colocá-los para adoção posteriormente. Para Goretti Queiroz, o Legislativo falhou. "Antes da incineração, os corpos deveriam ter sido enviados para análise para descobrir a real causa da morte, se foi mesmo veneno e qual tipo. Se não todos os corpos, ao menos um. E se a cidade não tem suporte para fazer a análise, deveria ter enviado para a Universidade Rural Federal de Pernambuco, que conta com um laboratório veterinário", finalizou. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias