Saúde

No Dia Mundial de Combate à Obesidade, médicos orientam e examinam população

Serviço será oferecido no Parque da Jaqueira na manhã deste sábado. Doença atinge mais de dois bilhões de pessoas no mundo e 60 milhões de brasileiros

Da editoria de Cidades
Da editoria de Cidades
Publicado em 10/10/2014 às 7:59
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Serviço será oferecido no Parque da Jaqueira na manhã deste sábado. Doença atinge mais de dois bilhões de pessoas no mundo e 60 milhões de brasileiros - FOTO: Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Leitura:

Amanhã é dia de lutar contra um dos maiores problemas de saúde da contemporaneidade: a obesidade. Desde 2007, o 11 de outubro marca o dia mundial de combate à doença, que atinge mais de dois bilhões de pessoas no mundo. No Brasil, são 60 milhões de obesos e cerca de 80 mil mortes por ano em decorrência do excesso de peso. A situação é tão alarmante que muitos especialistas já tratam a doença como uma epidemia e pedem mais políticas públicas que orientem a população a evitar o ganho de massa gorda. A prevenção, aliás, é a principal recomendação para quem quer manter a balança e o corpo saudável. Pensando nisso, médicos de todo o Brasil promovem ações gratuitas de orientação e diagnóstico do problema neste sábado. No Recife, as atividades serão realizadas no Parque da Jaqueira, na Zona Norte. 

Entre as 8h e as 12h, 50 profissionais de saúde vão calcular peso, altura, índice de massa corporal (IMC), taxa de açúcar no sangue, pressão arterial e circunferências corporais dos interessados. Os visitantes também receberão dicas de como manter uma alimentação equilibrada, mas quem estiver acima do peso será orientado a procurar um médico. “A melhor forma de tratar a obesidade é prevenir seu desenvolvimento através de uma dieta balanceada e da prática de exercícios físicos. Isso é muito importante porque o avanço atual da obesidade é preocupante. Apenas o Japão, a Suécia e os países africanos têm baixos índices de sobrepeso. Nos Estados Unidos, mais da metade da população está acima do peso. No Brasil, esse índice já chega a 40%”, lamenta a endocrinologista Lúcia Cordeiro. 

De acordo com uma pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), esses índices são ainda maiores no Recife. Entre julho e dezembro do ano passado, 619 pessoas foram avaliadas pela equipe médica que estará no Parque da Jaqueira amanhã e 45% delas estavam acima do peso. Dessas, 27,5% apresentavam algum grau de obesidade. Muitas não tinham nem 35 anos. “A doença aparece cada vez mais cedo, devido à má alimentação e ao sedentarismo”, afirma Lúcia Cordeiro. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), 15% das crianças brasileiras já têm sobrepeso e até 80% delas podem desenvolver a obesidade. “Este é o dado mais alarmante, porque o problema antecipa doenças como a diabetes e a hipertensão”, diz Lúcia. Pesquisas também indicam que a obesidade é o segundo fator que mais favorece o desenvolvimento do câncer, só perdendo para o tabagismo. 

Leia a matéria completa no Jornal do Commercio desta sexta-feira (10/11)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias