TRANSPLANTE

Você sabia que pode se tornar um doador de órgãos em vida? Saiba como

O gesto de solidariedade pode ser feito para familiares e desconhecidos em vida e após a morte

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 12/12/2019 às 10:57
Notícia
Foto: Ministério da Saúde/Divulgação
O gesto de solidariedade pode ser feito para familiares e desconhecidos em vida e após a morte - Foto: Ministério da Saúde/Divulgação
Leitura:

Além da doação de órgãos e tecidos após o falecimento, também é possível se tornar um doador ainda em vida e ajudar a reduzir a lista de 1.448 pacientes que ainda sonham com um transplante em Pernambuco. O gesto de solidariedade pode ser prestado com parte do rim ou medula óssea e, ocasionalmente, com parte do fígado ou do pulmão para um de seus familiares.

Para doadores não parentes, há necessidade de autorização judicial, aprovação da Comissão de Ética do hospital transplantador e da CNCDO (Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos – INCA), assim como de comunicação ao Ministério Público.