Imunização

Campanha de vacinação contra sarampo para pessoas entre 5 e 19 anos tem início nesta segunda

Em 2019, Pernambuco teve 315 confirmações de sarampo e outros 240 casos permanecem em investigação

Mayra Cavalcanti
Mayra Cavalcanti
Publicado em 09/02/2020 às 12:23
Notícia
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Em 2019, Pernambuco teve 315 confirmações de sarampo e outros 240 casos permanecem em investigação - FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Em mais uma tentativa de conter o avanço do sarampo em Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) dá início, nesta segunda-feira (10), a uma campanha de vacinação voltada ao público de 5 a 19 anos. Quem está nesta faixa etária deve procurar um posto de saúde e realizar a vacinação, que ocorre em duas doses da tríplice viral, com um intervalo de 30 dias entre elas. A ação, que segue até o dia 13 de março, é voltada para as pessoas que nunca foram imunizadas contra a doença, ou que estão com a caderneta desatualizada.

"Vamos estar reforçando este público, entre 5 e 19 anos, principalmente o adolescente. A tríplice viral é de rotina. Mês a mês distribuímos cerca de 100 mil vacinas. Para esta campanha, como vão ter estas doses extras, encaminhamos mais 200 mil, totalizando 300 mil", afirma a superintendente das Doenças Imunopreveníveis e Imunizações da SES-PE, Ana Catarina de Melo. Ela explica que, apesar de a campanha ter um público-alvo, qualquer pessoa que esteja dentro da determinação do Ministério da Saúde pode procurar um posto de saúde para tomar a vacina.

A tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola e é disponibilizada de rotina para o público de 6 a 11 meses, que é a chamada "dose zero". Ao completar um ano, deve ser feita a primeira dose, com reforço aos 15 meses. Para as pessoas entre 2 e 29 anos, que não foram vacinadas, o esquema é composto por duas doses, com um intervalo de 30 dias entre elas. Os adultos de 30 a 49 anos não imunizados devem tomar apenas uma dose. Profissionais de saúde precisam de esquema feito com duas doses.

"A medida mais segura e eficaz para combater o sarampo é a vacina. Nós precisamos manter a população muito bem vacinada. As pessoas circulam o tempo todo, temos sarampo em vários países do mundo e as pessoas viajam. É importante que a população esteja imunizada, porque assim, poderá circular e não vamos ter risco de adoecimento", declara Ana Catarina. Em 2019, foram aplicadas 808.920 doses da vacina tríplice viral em Pernambuco, número 54% maior do que o mesmo período de 2018, quando 524.356 doses foram administradas.

Casos confirmados em Pernambuco em 2020

Esta é a terceira campanha realizada desde 2019 no Estado. As outras ações foram voltadas para pessoas de 6 meses a 4 anos e para os jovens de 20 a 29 anos. De acordo com a SES, está prevista mais uma campanha, que será realizada a partir de 3 agosto de 2020, e terá como público-alvo as pessoas entre os 30 e 59 anos. Segundo o Ministério da Saúde, Pernambuco é um dos nove estados que têm casos confirmados de sarampo este ano. Foram registrados 46 casos suspeitos, dos quais três (6,5%) foram confirmados, 16 (34,8%) descartados e 27 (58,7%) em investigação.

Os casos aconteceram nos municípios de Paulista (dois) e Olinda (um), ambos no Grande Recife. Os adoecimentos registrados em Paulista são de gêmeas de apenas um ano. Elas não têm histórico de vacinação com a tríplice viral, apesar de a dose zero ter começado a ser ofertada, no ano passado, a bebês a partir dos 6 meses. Ambas estão bem, precisaram ser internadas, mas receberam alta hospitalar. Em Olinda, a paciente é uma mulher de 23 anos.

"Em Pernambuco, nós temos uma boa taxa da primeira dose da vacina, dentro da meta, superior a 95%, mas, em relação à segunda dose, nós ainda estamos precisando dar um reforço. É muito importante que as pessoas que não tenham o esquema vacinal completo, ou que tenham alguma dúvida sobre o esquema vacinal, procurem os postos de saúde a partir desta segunda-feira", comenta o secretário de saúde de Pernambuco, André Longo. Em 2019, Pernambuco teve 315 confirmações de sarampo e outros 240 casos permanecem em investigação. Também no ano passado, cerca de 760 mil doses da tríplice viral foram aplicadas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias