COVID-19

Tudo que você precisa saber sobre os casos suspeitos de coronavírus em Pernambuco

Secretaria de Saúde do Estado investiga três pernambucanos que vieram da Itália e apresentam sintomas da doença

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 27/02/2020 às 8:04
Notícia
Foto: ATTA KENARE/AFP
Secretaria de Saúde do Estado investiga três pernambucanos que vieram da Itália e apresentam sintomas da doença - FOTO: Foto: ATTA KENARE/AFP
Leitura:

Resumo da notícia:

- Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco investiga três casos suspeitos de coronavírus
- Pernambucana, de 51 anos, que veio de São Paulo para o Recife e fez conexão em Milão, na Itália
- Pernambucano, de 24 anos, que mora na Itália e veio visitar a família durante Carnaval
- Pernambucano, de 41 anos, esteve recentemente em Veneza, na Itália, e voltou para Recife dia 12/02

Três casos suspeitos do novo coronavírus são investigados em Pernambuco, segundo número divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, nessa quarta-feira (26), em coletiva de imprensa. Todas elas são pernambucanas e estiveram recentemente na Itália, país com muitos casos de contaminação e morte causadas pelo Covid-19. O resultado dos exames sairá nesta sexta-feira (28). No Brasil, até o momento, apenas um caso da doença foi confirmado.

» Veja 6 dicas para se proteger do novo coronavírus

» Coronavírus: como é a transmissão, os sintomas e o tratamento

» Em caso de sintoma de coronavírus, encaminhe-se a uma urgência ou UPA

» Suspeita de coronavírus provoca corrida por máscara e álcool em gel no Recife

A primeira suspeita do vírus no Estado é em uma mulher de 51 anos que mora em Caruaru, no Agreste, que foi fazer um curso no Norte da Itália no dia 13 de fevereiro e voltou para o Recife na terça-feira (15). Ela foi passageira do voo 6954, da Companhia Azul, que partiu de São Paulo (Guarulhos). 

A paciente foi retirada da aeronave e examinada por agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo encaminhada para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, uma das unidades de referência popular selecionadas para fazer o atendimento especializado de possíveis casos do Covid-19.

Ela apresentou febre nos dias 17 e 18 de fevereiro e, conforme dito pelo assessor da Secretaria Estadual de Saúde, Demétrius Montenegro, na noite dessa quarta-feira (26), "encontra-se muito bem clinicamente, com melhoras" em relação aos sintomas de garganta, mas que continua em observação para confirmar a hipótese de coronavírus. Ela não apresenta mais febre nem tosse, e teve melhora considerável da dor de garganta. O Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE) já realizou os exames para influenza A e B, que deram negativo.

segundo paciente é homem, também de pernambucano, e tem 24 anos. Ele mora na Itália e chegou em Pernambuco no último dia 14 para visitar a sua família e passar o período carnavalesco, contudo, só veio apresentar sintomas (febre, tosse, dor de garganta e dificuldade de respirar) na última terça-feira (25).

Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) por uma condição de saúde pré-existente (asma), mas apresenta quadro estável e não necessita dos suportes de UTI. Já foi realizada a coleta de material do homem para as análises laboratoriais pelo Lacen-PE e IEC.

O terceiro caso suspeito de coronavírus em Pernambuco é em um homem, 41 anos, residente no Recife e com histórico de viagem para Itália e França. Ele voltou ao Estado no dia 12 de fevereiro. O início dos sintomas (febre, coriza, dor de garganta e congestão nasal) foi na última terça (25). O homem procurou atendimento nesta quarta em uma unidade de saúde privada, onde está internado recebendo assistência. Ele já realizou coleta de material para as análises em laboratório.

Exames

Os dois pacientes com a suspeita do novo vírus que estão internados no Oswaldo Cruz, a mulher de 51 anos e o homem de 24 anos, já tiveram a saliva coletada e enviada para o Instituto Evandro Chagas, no Pará, onde é feito o exame que comprova ou descarta a contaminação. O resultado tem previsão para chegar ao Recife nesta sexta-feira (28).

Uso de máscaras e álcool em gel

Apesar da crescente procura da população por máscaras e álcool em gel, com receio da propagação do Covid 19, após o primeiro caso ser confirmado no Brasil, é preciso cautela. Isto porque o uso das máscaras é indicado apenas para pessoas que têm vínculo epidemiológico, ou seja, estiveram em países como China, Coreia do Sul e Itália nos últimos 14 dias e apresentam sintomas como tosse, febre e falta de ar. Em relação ao álcool em gel e à higienização das mãos, o cuidado envolve a forma e a frequência, visto que não há restrições e que as ações deveriam fazer parte da rotina.

"Não precisa sair todo mundo comprando máscara cirúrgica. Só quem tiver o vínculo epidemiológico e apresentar sintomas, ou quem tiver contato com este paciente. Mesmo que o caso seja confirmado no Estado, não significa que qualquer infecção de via aérea superior vá ser por coronavírus", explica o infectologista Gabriel Serrano. Sobre o álcool em gel, o médico alerta que a pessoa deve utilizá-lo quando não puder lavar a mão com água e sabão. A higienização das mãos deve ser feita cotidianamente e não apenas nos casos de doença, sempre que a pessoa tossir ou espirrar, antes e depois das refeições ou quando necessário.

Nada de alarde

Apesar da suspeita, o secretário de Saúde do Estado de Pernambuco, André Longo, tranquilizou a população, dizendo, nessa quarta-feira (26), que nem todos os casos precisarão de atenção hospitalar e relembra que o único caso confirmado do coronavírus no Brasil está recebendo acompanhamentos médicos em casa.

André Longo explica que o Governo do Estado está "vigilante" quanto aos possíveis casos de coronavírus e pronto para a contenção do vírus em Pernambuco. "Nós estamos observando a ampliação de casos suspeitos no Brasil, que quadruplicou, de ontem [terça, 25] para hoje [quarta, 26], e aqui em Pernambuco, nós tínhamos um caso suspeito ontem [terça] e nós notificamos mais dois casos ao Ministério da Saúde", argumenta.

Longo aconselha as pessoas que tenham, porventura, sintomas do novo coronavírus. Ele indica que os pacientes procurem as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e deixem os hospitais referência no tratamento do vírus para casos realmente suspeitos.

De acordo com o assessor da Secretaria Estadual de Saúde, Demetrius Montenegro, se os casos forem confirmados, os familiares e outras pessoas que tiveram contato com os pacientes receberão uma observação intensiva por 14 dias, que é o período prescrito para todos os pacientes.

Primeiro caso de coronavírus no Brasil

O exame de contraprova realizado no brasileiro que chegou da Itália na sexta-feira (21) confirmou a infecção do homem de 61 anos pelo novo coronavírus. Nessa terça-feira (25), o paciente havia recebido um primeiro teste positivo para o vírus. Os casos suspeitos estão assim espalhados: Paraíba (1), Pernambuco (3), Espírito Santo (1), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (2) e Santa Catarina (2) e São Paulo (11).

Veja o mapa que mostra por onde o coronavírus se espalhou

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias