Teatro de rua

Grupo Imbuaça aposta na tradição do cordel

Espetáculo da trupe sergipana reúne três histórias e danças populares, como o reisado

Eugênia Bezerra
Eugênia Bezerra
Publicado em 25/05/2011 às 6:00
Divulgação
Espetáculo da trupe sergipana reúne três histórias e danças populares, como o reisado - FOTO: Divulgação
Leitura:

Fundado com o objetivo de montar espetáculos de rua inspirados na cultura popular, o Grupo Imbuaça (SE) está em Pernambuco participando do festival Palco Giratório. A companhia apresenta hoje (25/5), no Mercado das Mangueiras, o trabalho mais antigo de seu repertório: Teatro chamado cordel.

O espetáculo é formado pela adaptação dos cordéis O matuto com o balaio de maxixi (sic), de José Pacheco; A moça que bateu e virou cachorra, de Rodolfo Coelho Cavalcante; e O malandro e a graxeira no chumbrego da orgia, de vários autores.

A apresentação do Imbuaça tem entrada gratuita e faz parte do Palco Giratório, festival de artes cênicas promovido pelo Sesc. As outras atrações do dia são as peças pernambucanas O acidente, do Visível Núcleo de Criação, e Cordel do amor sem fim, da O Poste: Soluções Luminosas (o ingresso custa R$ 10 e R$ 5). Esta última será encenada com audiodescrição e tradução em libras.

Confira a matéria completa no Caderno C desta quarta-feira (25/5), no Jornal do Commercio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias