Teatro

Morre o crítico de teatro Sábato Magaldi, aos 89 anos

Sábato estava internado desde o último dia 2, no Hospital Samaritano, em São Paulo

Mateus Araújo
Mateus Araújo
Publicado em 15/07/2016 às 2:03
Foto: Leonardo Soares
Sábato estava internado desde o último dia 2, no Hospital Samaritano, em São Paulo - FOTO: Foto: Leonardo Soares
Leitura:

Último da tríplice de críticos formada por Bárbara Heliodora e Décio de Almeida Prado, o crítico de teatro Sábato Magaldi morreu nesta quinta (14), às 23h30, no Hospital Samaritano, em São Paulo. Aos 89 anos, Magaldi estava internado desde o último dia 2, com problemas pulmonares. A causa da morte não foi divulgada.  

Comprometido com seu ofício e de extrema cumplicidade para com o teatro brasileiro, Sábato Magaldi e transformou numa das principais leituras e percepções dos nossos palcos modernos. Pertencente a uma geração de críticos focados na análise da dramaturgia produzida no Brasil do século 20, o mineiro foi também um dos responsáveis pela historiografia da cena nacional.

Sábato Magaldi nasceu em Minas Gerais em 1927, se formou em Direito e se especializou em Estética na Universidade de Sorbonne, na França. Ele começou a exerce sua função de crítico de teatro aos 23 anos, e foi professor da Escola de Arte Dramática (EAD), Escola de Comunicações e Artes da USP, da Universidade de Paris III. Sábato era membro da Academia Brasileira de Letras.

Em 40 anos de escrita, o crítico ficou conhecido pela sua condescendênciacom os artistas, e se transformou em um dos maiores especialistas na obra do dramaturgo Nelson Rodrigues. Contrariando os intelectuais que chamavam Nelson de pornográfico, Sábato Magaldi percebeu onde muitos enxergavam melodrama e escracho, na verdade, tragédias e peças míticas.

Sábato era casado com Edla van Steen, que no ano passado lançou o livro o livro 'Amor ao teatro: Sábato Magaldi' (Sesc SP), com textos escritos pelo crítico entre 1966 e 1988. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias