Solo

Coletivo Grão Comum apresenta 'Breu' no Teatro Arraial

Baseado no livro de Geraldo Maia, monólogo fala de perda e sexualidade

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 02/08/2019 às 16:07
Notícia
Sori Galtama/Divulgação
Baseado no livro de Geraldo Maia, monólogo fala de perda e sexualidade - FOTO: Sori Galtama/Divulgação
Leitura:

Após oito anos dedicados à Trilogia Vermelha, cujos espetáculos homenagearam figuras nordestinas ligadas ao pensamento de esquerda, como Paulo Freire, Glauber Rocha e Dom Helder Câmara, Júnior Aguiar abre um novo ciclo na sua carreira. Essa fase se inicia com o solo Breu, que é apresentado dias 2 e 3 de agosto, às 20h, no Teatro Arraial.

Breu é uma adaptação do livro homônimo de Geraldo Maia, lançado em 2014. Júnior lembra que quando leu a obra pela primeira vez, imediatamente visualizou seu conteúdo, que é autobiográfico, transposto para o palco. Com as bênçãos do autor, se lançou na adaptação tão logo finalizou os processos artísticos da Trilogia Vermelha.

“Este é o meu segundo monólogo e esta energia de estar sozinho em cena, depois de dividir momentos tão intensos com outros atores, tem sido uma experiência muito forte. Levar esse texto para o palco tem para mim um significado enorme porque me identifico muito com as questões que ele aborda, como a morte da mãe ainda jovem – Geraldo perdeu a mãe quando tinha 5 anos, enquanto a minha faleceu quando eu tinha 11 anos. Esse tipo de perda fica marcada na gente, transforma”, pontua.

Outras temáticas que, segundo o ator, também atravessam sua vida e permeiam a montagem são a descoberta da homoafetividade e a conturbada relação com a religião, mais especificamente com a igreja católica.

COLETIVO GRÃO COMUM

Além de atuar, Junior dirige o trabalho ao lado de Asaías Rodrigues, com quem fundou o Coletivo Grão Comum. Para ele, apresentar este trabalho marca um momento de realização pessoal e profissional.

“Sou um ator que optou fazer carreira em minha terra e sempre lutei para viabilizar minha arte. Consegui realizar muitas coisas das quais tenho orgulho e, ao longo desses 25 anos de carreira, me sinto realizado”, enfatiza.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias