Individual

A geometria colorida de Gil Vicente

O artista plástico pernambucano inaugura uma exposição de pinturas abstratas na Galeria Mariana Moura

Eugênia Bezerra
Eugênia Bezerra
Publicado em 27/06/2012 às 10:07
Leitura:

Desde os 12 anos estudando e fazendo suas criações em artes visuais, o recifense Gil Vicente já encontrou na pintura, desenho, escultura e fotografia meios de expressão. Observando especificamente as pinturas e desenhos feitos por ele durante este tempo, também se nota mais um exemplo da diversidade de interesses artísticos de Gil Vicente pela presença do figurativo e do abstrato entre as obras. E é este último lado da produção do artista que o público pode conferir até o fim de julho na exposição Geometrias, individual que será inaugurada nesta quarta-feira (27/6), às 20h, na Galeria Mariana Moura.

A mostra reúne 18 pinturas em óleo sobre tela. São obras bem recentes, nas quais o artista trabalha desde janeiro de 2012 combinando as cores, formas e espaços vazios. Esta é a terceira exposição de Gil na Galeria Mariana Moura (que representa o artista, junto com a Galeria Nara Roesler, de São Paulo). A mostra também é a segunda em que ele apresenta pinturas abstratas. “"Na minha vida toda, representei paisagens, figuras especialmente, coisas do mundo real. A figura sempre foi muito mais urgente para mim, por motivos pessoais mesmo. Para me relacionar com o mundo tive que passar estes 30 anos pintando”", resume Gil Vicente.

Ele lembra que a geometria vez ou outra se insinuava em seu trabalho. Em 2008, na mesma Galeria Mariana Moura, o artista também reuniu alguns trabalhos abstratos em Geometria adiada. "“As obras eram muito diferentes destas, eu usava cores escuras. Desta vez elas estão mais claras, luminosas, diurnas, em contraste com a outra exposição. (A escolha das cores) foi do processo, naturalmente foram aparecendo cores mais claras. Mexi neles muitas vezes, algumas são quase fluorescentes"”, compara o artista.

Para 2012, ele tem mais duas exposições programadas em Pernambuco. Uma delas reúne obras dele, de Renato Valle e Manoel Veiga. A mostra Figura, paisagem e natureza-morta, que em 2011 foi montada no Sesc Casa Amarela, será levada em agosto para o Sesc Petrolina. “"O Museu Murillo La Greca está com uma exposição minha chamada Estudos, com trabalhos desde a Escolinha de Arte do Recife e também nos ateliês de extensão da Universidade Federal de Pernambuco, além de rabiscos que fiz até esta exposição"”, adianta o artista plástico.

A matéria completa está no Caderno C desta quarta-feira (27/6), no Jornal do Commercio.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias