Sombras

João Lobo expõe o caos urbano no Instituto de Arte Contemporânea

A mostra conta com duas séries, dois vídeos e dois livros do artista paraibano

Beatriz Braga
Beatriz Braga
Publicado em 27/09/2012 às 7:20
Leitura:

O paraibano João Lobo decidiu fotografar o caos. A ordem, portanto, já estaria fora dos planos desde o começo. O artista traz o resultado de sua aventura pelos centros urbanos onde passou, que inclui duas séries – Across lens e Tessituras urbanas–, duas obras de videoarte e dois livros. A partir desta quinta (17), às 19h30, no Instituto de Arte Contemporânea da UFPE. A mostra fica em cartaz até 27 de outubro.

A curadoria é da artista plástica Bete Gouveia. As duas séries da mostra trazem imagens nervosas nos tons preto, branco e cinza, de personagens que talvez nem queriam ser personagens e objetos normalmente escanteados. Estão lá comerciante ilegais, ruas escuras e afins. 

Se, em algum momento da história, a fotografia foi entendida como uma retratação da realidade, aqui perde esse foco. João Lobo propõe a transfiguração do real. Nas suas fotos não há preocupação com a nitidez ou o ângulo mais convencional.

Apesar disso, a mira continua sendo as esquinas vivas da cidade. Não há pose ou modelos, e sim improvisos e imprevistos. 

"Como todo lobo, o João, de hábitos literalmente noturnos, desafia essas crenças nesta coletânea, mostra que a fotografia pode ser feita nas sombras, onde a luz não é bem quista e pode mostrar mais do que se quer ver”", escreve a crítica de fotografia Bruna Alvez Lôbo.

Leia a matéria complea no Caderno C desta quinta (27)

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias