Baixa gastronomia

Comida di Buteco chega ao Recife

Festival reúne 24 estabelecimentos tradicionais

Bruno Albertim
Bruno Albertim
Publicado em 10/04/2015 às 6:08
Divulgação
Festival reúne 24 estabelecimentos tradicionais - FOTO: Divulgação
Leitura:

Extensão da cozinha doméstica, instituição da vida pública no Brasil com a força dos bistrôs na França ou das tascas em Portugal, os botecos brasileiros contam com um concurso de avaliação de qualidade que já soma 16 anos. Surgido em Minas Gerais e maior do gênero do País que tem aprendido a valorizar as pedras de sustentação de sua cultura cotidiana, o festival Comida de Buteco estreia este ano no Recife. Desta sexta (10) até o dia 3 de maio, cerca de 24 estabelecimentos do Recife, Olinda e de Jaboatão dos Guararapes poderão ser avaliados pelo público, mediante cédulas disponibilizadas, e por um júri especial, para eleger o “melhor boteco da cidade”.

Todos, rigorosamente todos os estabelecimentos envolvidos, fazem parte do que a organização entende por boteco “espontâneo”. “O espontâneo é aquele boteco em que o proprietário, obrigatoriamente, administra o negócio; sua história e seu dia a dia comungam com a identidade do dono, que na maioria das vezes conta com a força de trabalho de mais pessoas da sua família. O boteco espontâneo não faz parte de uma rede ou franquia de marca”, explica a publicitária Dani Bicalho, coordenadora para o Norte e Nordeste do projeto Comida di Buteco.

Com vários estabelecimentos comprometidos com outros festivais do gênero, e estabelecimentos queridos e antigos da cidade fora da lista, seria pretensioso demais dizer que o Comida di Buteco terá, de fato, o poder de eleger o melhor boteco do Recife e cidades vizinhas. Mas, além de estimular a tradição e incentivar os proprietários a renovar a fé em seus endereços onde comida e bebida se conjugam de maneira bem especial, a lista conta, de fato, com grandes representantes do gênero.

Entre eles, o polivalente Bar do Tonhão, grandioso boteco familiar da Encruzilhada, e o Bar da Mira. Felizmente, nem todos caíram na tentação de se submeter ao tema (que festival não teria um?) proposto: frutas. Dona Mira, por exemplo, oferece como petisco apenas pedaços de sua quase transcendental galinha de cabidela, aquela cujo molho, quando esteve pela última vez no Recife, o chef-celebridade Claude Troisgros disse se tratar, simplesmente, de o melhor molho pardo do Brasil.

“Recife foi uma grata surpresa pra gente, uma grande cidade para se botecar”, diz Dani Bicalho, que passou 17 dias do ano passando visitando exclusivamente os botecos pernambucanos para chegar à lista final de participantes. “Foram mais de 60 visitas para escolher os 24 desta edição, convidados de acordo com um ranking que estabelecemos. Como é o primeiro ano, fizemos uma edição mais contida. Mas temos ótimos lugares para as próximas edições”, diz ela.

Os botecos e seus petiscos

Bar da Geralda
Galinha à cabidela da Geralda. Terc a qui, das 11h às 17h. Sex. e sáb, das 11h às 23h. Dom, 11h às 17h. Morro da Conceição, 486.

Bar da Mira
Galinha a Cabidela. Quar a dom, 8h a Oh. Av. Doutor Eurico Chaves, 916, Casa Amarela.

Bar do Cabo
Camarão Embriagado. Ter a dom, 11h às 16h. Rua Nanuque, 37, Brasília Teimosa.

Bar do Peixe
Pescada especial. Qua a dom, 12h às 23h. Rua Albacora, 26, Brasília Teimosa.

Bar do Tonhão
Arrumadinho de Charque. Seg a sáb, 11h às 22h. Dom, 11h às 18h. Rua Amaro Coutinho, 339, Encruzilhada.

Bar e Comedoria do Gilmar
Lagosta a Moda da Garota. Seg, das 11h30 às 18h. Quar a dom: 11h30 às 18h. Praça Abelardo Baltar, 42, Brasília Teimosa.

Bode do Picuí
Especial do Picuí. Todos os dias: 11h às 23h. Rua Doutor Gaspar Rigueira Costa, 57 - Boa Viagem.

Bodega do Véio
Prato de Frios. Seg a sábado: 10h às 23h. Rua do Amparo, 212, Olinda.

Boteco da Pequena
Bolinho de dobradinha. Qua a sáb: 18h a 0h. Av Bernardo Vieira de Melo, 5293, Candeias.

Budega do Rafa
Costela Suína. Ter a sáb, 16h até o último cliente. Dom, a partir das 14h. Rua José Hipolito Cardoso, 575, Setúbal.

Buraco do Sargento
Pedida do Sargento. Seg a sáb, 10h às 21h. Pátio São Pedro, 33.

Buteco do Arnaldo
Parmegiana do Arnaldo. Ter a sáb, 16h a 0h. Dom, 14h a 0h. Rua Maria Rita Barradas, 50, Jaboatão.

Caricatura do Chicão
Camarão Vitória Régia. Todos os dias: 11h a 0h. Rua João da Silva Teles, 121, Parnamirim.

Confraria do Zé Perninha
Moela do Perninha. Ter. a qui: 9h às 21h. Rua Delmiro Monteiro da Purificação, 1415, Jardim Atlântico.

Espaço Bar & Bistrô
Camarão Especial Bistrô. Seg a sáb. 19h a 0h. Av. Castelo Branco, 7021, Candeias.

Espetinho no Prato
Espetinho Tropical. Ter. a sáb: 17h às 02h. Dom e seg: 17h a 0h. Rua Cruzeiro do Forte, 574, Boa Viagem.

Galeria Café Aloma Bandeira
Bacalhau de Calçola.Ter a dom 19h a 0h. Rua do Amparo, 3, Olinda.

Lisbela e Prisioneiro
Petisco: Camarão Prisioneiro. Ter a dom: 16h a 0h. Largo da Santa Cruz, 438, Boa Vista.

Minha Deusa
Arrumadinho dos Deuses. Seg a sex: 7h às 17h30. Sáb: 7h às 18h. Dom: 7h às 12h. Largo da Encruzilhada, s/n - Mercado da Encruzilhada.

Neto's Petiscos Bar
Tilápia especial
Ter a sáb: 11h às 18h. Dom: 11h às 15h. Mercado da Boa Vista, Box 14

Paranóia do Mar
Trinca. Ter a qui: 17h a 0h. Sex e sáb: 11h a 0h. Dom: 11h às 18h. Rua Professor Augusto Lins e Silva, 666, Boa Viagem.

Sem Nome
Trio Nordestino. Todos os dias: 9h às 23h. Av. Presidente Castelo Branco, 1040, Barra de Jangada.

Sushi Digital
Petisco: Trio Nordestino. Terça a dom, a partir das 18h.
Rua da Moeda, 122, Recife Antigo.

Teatro Mamulengo
Filé a Mamulengo. Seg a qua, 11h às 14h30. Qui e sex, 11h às 22h. Sáb e dom, 16h a 0h. Rua da Guia, 211, Recife Antigo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias